Quanto você ganharia se tivesse investido na Amazon em 1997

Há exatos 20 anos, a companhia de Jeff Bezos começava a negociar ações em bolsa

São Paulo — Há exatamente 20 anos, a Amazon se tornava uma empresa de capital aberto. Em 15 de maio de 1997, começaram a ser negociadas no mercado norte-americano as ações de uma companhia que tinha apenas três anos de funcionamento, mas que já se apresentava como a “maior livraria da Terra”.

Naquela época, pouca gente poderia prever que ganharia quase 500.000% com os papéis nas duas décadas seguintes. Mas foi o que aconteceu.

Um levantamento feito pelo Business Insider mostra que os acionistas que se aventuraram a embarcar no IPO da Amazon e que tivessem entrado com uma participação de mil dólares, por exemplo, teriam no bolso, hoje, mais de 490 mil dólares.

Nem o próprio Warren Buffett foi capaz de enxergar tal oportunidade. Recentemente, o megainvestidor disse que foi “muito burro” por não ter percebido o que estava por acontecer com a Amazon.

Em 20 anos…

A Amazon foi criada com o objetivo de vender livros pela internet — algo bem pretensioso para a época. Conseguiu, ao longo dos anos, revolucionar o mercado de livros e passou a vender outros itens, de roupas a filmes, passando por alimentos, cosméticos e eletrônicos. Também lançou uma loja física e criou o próprio leitor de livro digitais, um modelo de telefone e caixas de som.

Um ano antes de entrar na bolsa, as receitas da companhia de Jeff Bezos não chegavam a 16 milhões de dólares. No ano passado, a maior varejista online do mundo registrou 136 bilhões de dólares em receitas.

As ações, que fecharam o primeiro dia de negociação cotadas a 23 dólares, valem atualmente quase 958 dólares.

Já o valor de mercado da Amazon passou de pouco mais de 547 milhões de dólares para 459 bilhões de dólares, segundo números da Economatica.