Para conter alta do dólar, BC intervém pela 4ª vez no dia

Moeda norte-americana chegou a bater R$ 3,40 nesta quinta-feira; exportadoras são as únicas que ganham na bolsa brasileira

São Paulo — O Banco Central (BC) anunciou nesta tarde a quarta intervenção no mercado de câmbio, por meio de leilão de swap cambial tradicional, que equivale à venda de dólares no mercado futuro e ajuda a segurar a alta ou forçar uma queda da moeda.

O objetivo dessas operações é oferecer proteção cambial para as empresas em momentos de forte oscilação da cotação e liquidez (recursos disponíveis) no mercado. Por volta das 15h33, o dólar comercial subia 5,95% a R$ 3,3176.

 O mercado vive um dia de horror nesta quinta-feira, depois das denúncias contra o presidente Michel Temer.

Reflexo na Bolsa

Na Bolsa, as exportadoras ganhavam com a subida da moeda. Às 15h20, as ações ordinárias da Fibria subiam mais de 10%. Os papéis preferenciais da Suzano tinham alta de 7,89%, os ordinários da Embraer, 4,20% e os da Klabin, pouco mais de 2%.

A bolsa brasileira chegou a paralisar as atividades no início do pregão desta quinta-feira. As operações foram suspensas por meia hora a partir do mecanismo do circuit breaker, que amortece movimentos bruscos do mercado. A paralisação acontece sempre que o Ibovespa cai mais do que 10%. Na abertura desta manhã, índice da bolsa chegou aos -10,6%.

Também às 15h20, o Ibovespa caía 8,10%, nos 62.066 pontos.

Com informações da Agência Brasil.