Brasília – O dólar encerrou o pregão de hoje (23) com valorização de 0,7% e reverteu o recuo de 0,63% da última sexta-feira (20). A moeda norte-americana fechou o dia valendo R$ 1,8826, na cotação mais alta do ano. Valorização provocada exclusivamente pelo cenário externo, uma vez que o Banco Central não repetiu os leilões para compra do dólar no mercado à vista, como vinha fazendo nas duas últimas semanas.

Se a questão cambial está mais confortável, principalmente para os exportadores nacionais, os investidores no mercado de ações tiveram hoje mais um revés. Depois dos bons ganhos obtidos de janeiro a março, os negócios na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) perderam fôlego este mês com sucessivas quedas e, no pregão de hoje, o Ibovespa (principal índice da Bovespa) caiu mais 1,53% ao marcar 61.539 pontos.

O pregão da Bovespa refletiu em grande parte a tensão política que derrubou as bolsas da Europa e dos Estados Unidos, representada pelo resultado do primeiro turno das eleições da França, com maioria de votos para o candidato socialista François Hollande, crítico das negociações bancárias em curso para tirar a Europa da crise financeira. Panorama adicionado também pela renúncia do primeiro-ministro da Holanda, Mark Rutte, depois de uma negociação fracassada, com vistas a adotar medidas de contenção de gastos públicos.

Tópicos: Bolsas de valores, Bovespa, Câmbio, Câmbio fixo, Dólar, Moedas, Ibovespa, Mercado financeiro