São Paulo - Os principais índices europeus fecharam em queda nesta terça-feira, 8, pressionados por números ruins da balança comercial da China que geraram aversão ao risco e fizeram desabar os papéis das mineradoras e de outras empresas com exposição à China.

O índice pan-europeu terminou em queda de 1,01%, aos 337,48 pontos.

Dados divulgados na madrugada de hoje pelo governo chinês mostraram que as exportações do país diminuíram 25,4% em fevereiro, ante igual mês de 2015, enquanto as importações recuaram 13,8% na mesma comparação.

A queda foi maior do que a esperada e ligou o sinal de alerta entre investidores. Pela manhã, o Fundo Monetário Internacional (FMI) ampliou as incertezas ao sinalizar que a projeção do Fundo para o crescimento global pode ser cortada em abril.

É a terceira advertência do tipo do FMI nas últimas duas semanas.

Os sinais negativos sobrepujaram o bom resultado da produção industrial da Alemanha, que subiu 3,3% em janeiro na comparação com o mês anterior.

Os dados mais fracos são "uma espécie de lembrete da situação pela qual a China atravessa, e torna a tarefa de Mario Draghi (presidente do Banco Central Europeu) ainda mais difícil na quinta-feira", disse Connor Campbell, analista financeiro da Spreadex, em nota.

As ações do setor de mineração lideraram as perdas, com destaque para a Anglo American (-15,48%), ArcelorMittal (-8,02%) e BHP Billiton (-8,51%). Os papéis de energia também recuaram: Tullow Oil caiu 7,46%, enquanto Total perdeu 1,86% e Repsol 2,88%.

O tombo em ações de dois segmentos importantes levou o índice FTSE-100 da bolsa de Londres a recuar 0,92%, aos 6.125,44 pontos.

Em Paris, o índice CAC-40 encerrou em queda de 0,86%, aos 4.4404,02 pontos, com destaque para os papéis da Renault, que caíram 4,34%. Já em Frankfurt, o DAX caiu 0,88%, aos 9.692,82 pontos, com destaque para o tombo de 4,14% da Volkswagen, atingida por notícias de que promotores alemães ampliaram o escopo da investigação sobre o escândalo das emissões.

O índice FTSE-Mib da bolsa de Milão cedeu 0,23%, aos 18.017,56 pontos. Os papéis da Saipem lideraram as perdas, com tombo de 14,77%.

Já o Ibex-35 da bolsa de Madri caiu 0,53%, aos 8.740,30 pontos, enquanto o PSI-20 de Lisboa perdeu 1,40%, aos 4.860,14 pontos.

Tópicos: Balança comercial, Ásia, China, Europa, Comércio exterior, Exportações, FMI