Caracas - A cesta venezuelana de petróleo e derivados caiu 11,2% e encerrou a semana em US$ 21,63 o barril, seu menor valor em 14 anos - de acordo com dados oficiais divulgados nesta sexta-feira.

"Os preços continuaram afetados pela ampla disponibilidade de oferta e pelos sinais de desaceleração da atividade econômica na China", explicou o Ministério do Poder Popular do Petróleo e da Mineração, em um relatório.

A cotação desta semana é a mais baixa desde março de 2002, com preço médio de US$ 20,82, de acordo com a estatal Administração de Informação Energética dos Estados Unidos (EIA, na sigla em inglês).

A queda sustentada do petróleo agravou a crise econômica da Venezuela, que obtém 96% de suas divisas dessa commodity. Diante desse cenário, o presidente Nicolás Maduro propôs aos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) uma reunião extraordinária em fevereiro para tentar conter a queda.

Hoje, Maduro conversou por telefone com o presidente russo, Vladimir Putin. Segundo o governo venezuelano, ambos teriam concordado em trabalhar em estratégias comuns para enfrentar a situação do mercado de hidrocarbonetos.

Tópicos: Mercado financeiro, Energia, Petróleo, Venezuela, América Latina