São Paulo - A Petrobras perdeu 85,55% de seu valor de mercado desde 21 de maio de 2008, quando estabeleceu um recorde de R$ 510,3 bilhões, informou nesta terça-feira a empresa de consultoria de mercado Economatica.

Com um valor de mercado de R$ 73,7 bilhões até 18 de janeiro de 2016, a petrolífera lidera em valores absolutos as perdas das empresas que cotam na bolsa de São Paulo a partir da data em que estabeleceram seu preço recorde, de acordo com a consultora.

A estatal se viu afetada pela queda do preço internacional do petróleo e por um gigantesco escândalo de corrupção que inclusive lhe levou a implementar um plano de desinvestimentos para gerar mais recursos.

Em valores absolutos, a mineradora Vale, outra das gigantes da Ibovespa, terminou 18 de janeiro com um valor de mercado de R$ 42 bilhões, 86,99% menos frente a seu preço recorde de 16 de maio de 2008.

Em termos percentuais, a maior queda foi para a Metalúrgica Gerdau, que na segunda-feira passada tinha um valor de mercado de R$ 988 milhões, o que representa uma perda de 95,77% de seu preço recorde de 9 de junho de 2008.

O relatório da Economatica constatou que das 57 empresas que integram o índice Ibovespa, o principal da bolsa de São Paulo, 28 delas perderam mais de 50% de seu valor de mercado a partir da data na qual estabeleceram um preço recorde.

Tópicos: Economática, Empresas, Mercado financeiro, Petrobras, Capitalização da Petrobras, Estatais brasileiras, Petróleo, gás e combustíveis, Empresas brasileiras, Empresas estatais, Empresas abertas, Indústria do petróleo