São Paulo - A BM&FBovespa explicou como fica a ação da petroleira OGX depois do pedido de recuperação judicial feito pela empresa. Segundo comunicado, a ação ficará suspensa hoje até as 11 horas, quando entrará em negociação com call de abertura, espécie de leilão de ofertas, que define o preço inicial do papel no mercado. No fim do dia, haverá um procedimento especial de negociação, ou seja, um novo leilão para definir o preço de fechamento do papel, que vai durar das 16 às 17 horas pelo menos.

Após o fechamento do pregão, as carteiras teóricas dos índices da bolsa, incluindo o Índice Bovespa, serão recalculadas sem a OGX, usando o preço de fechamento da ação. As novas carteiras vão entrar em vigor na sexta-feira, já sem a petroleira.

A ação da OGX continuará a ser negociada no pregão da bolsa, mesmo que fora dos índices, a menos que surja algum impedimento, como uma ação judicial ou a decretação de falência da empresa, informou a BM&FBovespa.

O maior impacto deverá ocorrer no Índice Bovespa, no qual OGX tinha peso até ontem de 3%. Nos demais índices, seu peso é menor. A mudança deverá impactar os fundos de índice, negociados em bolsa (ETFs) ou não.

Estão sujeitos a mudanças, além do Ibovespa, o Índice Brasil (IBrX), o IBrX-50, o Índice Brasil Amplo (IBrA), o Índice de Governança Corporativa Diferenciada(IGC), o Índice de Governança Corporativa Trade (IGCT), o IGC Novo Mercado, o Índice de Ações com Tag Along, o Índice Small Cap e o Índice de Carbono Eficiente.

A expectativa é com o valor que a ação da OGX pode atingir na volta ao mercado hoje. Ontem, o papel fechou a R$ 0,17.

Tópicos: Ações, Bolsas de valores, Bolsas, Bovespa, Ibovespa, Mercado financeiro, Empresas, OGpar -ex-OGX, Petróleo, gás e combustíveis, Indústria do petróleo, OGXP3