São Paulo - A agência de classificação Moody's cortou o rating da OGX, empresa do empresário Eike Batista, para "C", após a companhia ter feito o maior pedido recuperação judicial da história corporativa da América Latina, segundo comunicado divulgado nesta quinta-feira.

"Os ratings C da OGX refletem a expectativa da Moody's de fraca recuperação das notas sem garantias de ativos reais. Sob análises de diversos cenários de recuperação, a Moody´s espera que a recuperação seja inferior a 20 por cento no caso das notas sem garantias de ativos reais", disse a agência em comunicado.

A Moody's também rebaixou os ratings das notas seniores sem garantia de ativos reais da OGX Austria GmbH para "C", por conta do pedido de recuperação judicial. A perspectiva do rating permanece negativa.

A nota de crédito atribuída à OGX é o nível mais baixo no ranking da agência, refletindo poucas perspectivas de recuperação do principal ou juros.

A Moody's ponderou que "a OGX tem elevadas obrigações de dívidas em relação ao seu perfil atual de produção mínima".

"A OGX tem o direito a diversas concessões offshore no Brasil, bem como terrestres na Colômbia (nenhuma delas está produzindo atualmente), mas seus valores permanecem altamente incertos, particularmente a capacidade de transformá-los em recursos de maneira oportuna", justificou a Moody's.

Além disso, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) tem o poder para cancelar o direito da OGX às concessões se a companhia não cumprir as obrigações dos contratos de concessão, lembrou a Moody's.

A ação da OGX operava em queda de 23,5 por cento, às 15h59.

Processo Prolongado

Sobre a operação anunciada nesta quinta-feira que define a saída da companhia da OGX Maranhão e um aporte de capital, a agência não enxerga alívio.

"Não consideramos qualquer recuperação excedente da OGX Maranhão Petróleo e Gás S.A (OGX Maranhão) para benefício dos detentores das notas sem garantias de ativos reais da OGX", disse.

A OGX Maranhão detém as licenças da OGX nos campos de gás da Bacia do Parnaíba e não é garantidora das notas seniores da OGX, acrescentou a Moody's.

O processo de reestruturação provavelmente será prolongado, com um plano que pode assumir diferentes formatos, ressaltou.

"No caso da OGX, ele provavelmente deverá propor a venda de ativos específicos, como do campo Tubarão Martelo, e a conversão de bonds em ações, entre outras coisas." Na sequência das ações de ratings desta quinta-feira, a Moody's irá retirar todos os ratings da OGX, em virtude do pedido de recuperação judicial.

Tópicos: Moody's, Empresas, OGpar -ex-OGX, Petróleo, gás e combustíveis, Indústria do petróleo, OGXP3, Rating, Agências de rating, Mercado financeiro