São Paulo - As apostas na queda das ações da Marfrig Alimentos SA quase dobraram na última semana e ajudam a empresa a liderar as baixas no Ibovespa.

Operadores alugaram 15,3 milhões de ações da companhia até o dia 5 de agosto, o equivalente a 4,4 por cento das ações, segundo dados levantados pela Bloomberg e a Central Brasileira de Liquidação e Custódia. Isso comparado às 7,9 milhões de ações, ou 2,3 por cento, em 1 de agosto. Os operadores lucram ao se desfazer das ações na esperança de comprá-las mais tarde a um preço menor, transação conhecida como venda a descoberto ou ‘short selling’.

A Marfrig, segunda maior processadora de carnes da América Latina, tinha queda de 27,1 por cento, para R$ 8,75, às 16:10. Caso feche nesse patamar, será um recorde de baixa. O Ibovespa tinha queda de 7,2 por cento no mesmo horário e acumula recuo de 29,7 por cento no ano.

“Há uma possibilidade de um grande fundo estar saindo”, disse Sandra Peres, analista da Coinvalores. “O mercado está mesmo muito ruim.”

A assessoria de imprensa da Marfrig informou, através de e- mail, que a companhia não comenta oscilações de mercado.

Tópicos: Empresas, Marfrig, Alimentos processados, Carnes e derivados, Empresas brasileiras