São Paulo - A Bovespa fechou com o seu principal índice em leve alta nesta segunda-feira, após uma sessão de sobe e desce, com ações de empresas de mineração e siderurgia na ponta positiva, diante da disparada dos preços do minério de ferro por expectativa de aumento nas compras de aço pela China.

O Ibovespa subiu 0,33 por cento, a 49.246 pontos, na sexta sessão de alta, que levou o índice de referência do mercado acionário à máxima de fechamento desde outubro de 2015.

No melhor momento do dia, o índice subiu 1,13 por cento e na mínima caiu 0,69 por cento.

O volume financeiro no pregão somou 8,99 bilhões de reais, novamente acima da média diária do ano, de 6,2 bilhões de reais.

Em março, a média diária é de 11,2 bilhões de reais.

Para o analista Vitor Junji Suzaki, da corretora Lerosa, a sessão refletiu a realização de lucros com algumas ações e certo vazio do noticiário político e ausência de novidades nas operações Lava Jato e Zelotes da Polícia Federal.

Destaques

Vale fechou com as preferenciais em alta de 9,04 por cento, completando uma sequência de seis pregões com ganho diário igual ou superior a 6 por cento, o que levou os papéis para a máxima desde novembro de 2015.

No melhor momento desta segunda-feira, as ações avançaram 11,5 por cento, reagindo à disparada de 19,5 por cento nos preços do minério de ferro com entrega no porto chinês de Tianjin.

Vale PNA já acumula em 2016 ganho de quase 25 por cento, sendo que apenas em março a alta chega a quase 50 por cento.

Após o fechamento, a mineradora informou que assinou com a australiana Fortescue memorando de entendimento que prevê a formação de uma ou mais joint ventures para mistura e distribuição de produtos de minério de ferro de ambas as empresas na China.

CSN avançou 8,86 por cento, destaque na ponta positiva, em nova sessão de forte alta do setor siderúrgico na esteira das expectativas sobre aço que elevaram os preços do minério de ferro.

Petrobras teve uma sessão volátil e encerrou com as preferenciais em alta de 2,08 por cento, conforme os preços do petróleo avançaram significativamente.

A companhia informou que divulgará o resultado anual de 2015 em 21 de março de 2016, após o fechamento do mercado.

Banco do Brasil encerrou com variação positiva de 0,05 por cento, em sessão volátil, após valorizar-se quase 40 por cento na semana passada, quando foi contagiado pelo noticiário político.

No setor bancário, outros papéis que mostraram elevação expressiva na última semana recuaram, como BRADESCO, o que pesou negativamente no Ibovespa dada a relevante fatia que detém no índice.

BM&FBovespa caiu 5,34 por cento, liderando as perdas e contribuindo com a debilidade do Ibovespa, após valorização de mais de 30 por cento na última semana.

Matéria atualizada às 19h05

Tópicos: Ações, Bolsas de valores, Bolsas, Bovespa, Mercado financeiro