São Paulo - A Bovespa tinha um dia de volatilidade nesta quinta-feira, refletindo a batalha entre o avanço da blue chip Petrobras e do setor de siderurgia e a derrocada da petroleira OGX, que tinha seu último dia como integrante do principal índice da bolsa.

Às 12h05, o Ibovespa tinha variação negativa de 0,7 por cento, a 53.792 pontos. O giro financeiro era de 2 bilhões de reais. O índice era derrubado pela queda expressiva dos papéis da OGX, que pediu recuperação judicial na véspera e deve deixar o Ibovespa ao fim deste pregão.

A queda do Ibovespa não era maior por conta do impulso positivo da Petrobras, que chegou a recuar no início do dia, mas passou a subir cerca de 2 por cento. "Após a proposta de uma nova metodologia para que o preço de combustíveis seja corrigido, a ação da empresa rompeu nos últimos pregões uma linha de tendência de queda e está, graficamente, com um pivô de alta. A próxima linha de resistência é em torno de 20,80 reais", afirmou o analista Fábio Gonçalves, da Banrisul Corretora.

Ações de siderurgia também ajudavam a levantar a bolsa.

Gerdau aparecia entre as principais altas do Ibovespa, após a produtora de aços longos registrar crescimento de 57 por cento no lucro líquido, impulsionado por maiores vendas e preços de aço no Brasil. "Apesar das operações na América do Norte destoarem negativamente, o crescimento de volumes de vendas e de receita por tonelada nos demais mercados compensaram", afirmou o analista William Alves, da XP Investimentos, em relatório.

Na véspera, a siderúrgica Usiminas também divulgou fortes resultados, o que fazia o papel continuar subindo neste pregão.

MMX era outro destaque positivo, subindo cerca de 13 por cento. "Ontem a ação estava com indicadores técnicos muito baixos, como o índice de força relativa, indicando que estava sobrevendida. O investidor que estava posicionado em OGX pode estar trocando pra MMX", afirmou Gonçalves, da Banrisul Corretora.

No outro sentido, Embraer recuava, depois de encerrar o terceiro trimestre com queda no lucro líquido, que também ficou abaixo das expectativas do mercado, apesar de altas no Ebitda e na receita líquida. Gafisa era outra das maiores quedas. A Moody's rebaixou o rating corporativo da construtora e incorporadora para B1, ante Ba3 na escala global, e para Baa3.br, ante A3.br na escala nacional brasileira.  Fora do índice, disparavam os papéis do Magazine Luiza , que também divulgou resultados trimestrais.

Ao final do pregão, a Bovespa vai realizar procedimento especial de negociação (call de fechamento) para determinação do preço de retirada da OGX dos índices de ações, entre eles o Ibovespa, deixando de integrá-los a partir de sexta-feira, 1º de novembro.

Tópicos: Bolsas de valores, Bovespa, Ibovespa, Mercado financeiro, Empresas, OGpar -ex-OGX, Petróleo, gás e combustíveis, Indústria do petróleo, Siderurgia