São Paulo – Não é crime pedir uma forcinha dos búzios, cartas, ou qualquer outra fonte mística para conseguir sucesso nos investimentos. Usar as técnicas para investir o dinheiro alheio e, ainda por cima, armar uma fraude com isso, porém, virou motivo de processo nos Estados Unidos.

A SEC (Securities and Exchange Commission, órgão regulador do Mercado Americano) acusou formalmente o trader Gurudeo “Buddy” Persaud de controlar um esquema Ponzi (espécie de pirâmide financeira para enganar investidores) baseado na astrologia.

Segundo a acusação da SEC, Persaud enganava suas vítimas de duas maneiras. Primeiro, com a promessa de retornos. Por meio de sua empresa de nome místico e bem sugestivo, a White Elephant Trading Company, ou Elefante Branco em português, ele garantia que o dinheiro dos investidores estaria a salvo e com retornos entre 6% e 18%.

Persaud então dava início ao esquema, usando o dinheiro de novos investidores para pagar os antigos, fingindo que o valor era o lucro. A estimativa da SEC é que o trader tenha perdido 400 mil dólares dos investidores com seu esquema e desviado outros 415 mil dólares para gastos pessoais.

O trader ainda realizava algumas aplicações e na segunda parte da fraude estava a maneira como ele escolhia os ativos investidos. Sem revelar sua estratégia para quem entregava o dinheiro, ele baseava sua decisão na crença de que o mercado era influenciado por ‘forças do universo.

Segundo a SEC, Persaud usava um serviço na internet que dava previsões de mercado baseadas em ciclos da lua e outros pontos da astrologia que, teoricamente, afetavam o comportamento humano e refletiam no mercado de ações.

Escrito nas estrelas

Uma das teorias que o trader acreditava, por exemplo, era o fato de que quanto mais força sobre a Terra exercia a Lua, mais tristes as pessoas ficavam e, logo, mais propensas a vender ações.

“Quando Persaud mentia para os investidores e escondia suas perdas por meio de um esquema Ponzi, ele deveria saber que a SEC também estava nas estrelas”, brincou Eric I. Bustillo, diretor do escritório regional da autarquia em Miami, no comunicado liberado para a imprensa.

A SEC informou que o trader trabalhava legalmente numa corretora da Flórida, mas montou sua empresa White Elephant paralelamente a isso. As operações da corretora de Persaud começaram em julho 2007. Até janeiro de 2010, a estimativa é que ele tenha levantado mais de um milhão de dólares de, pelo menos, 14 investidores.

Após concluir suas investigações e fazer a acusação formal, a SEC agora busca a condenação do trader, que pode incluir multas e devolução dos valores tirados dos investidores.

Se você não acredita na história, segue abaixo o comunicado oficial do regulador americano:

www-sec-gov

Tópicos: Fraudes, Investimentos de empresas, SEC, Mercado financeiro