São Paulo – A Ágora, corretora do Bradesco, começou a cobrir os papéis da JHSF (JHSF3), com recomendação de compra das ações. O preço-alvo estimado para o final do ano é de 10,50 reais, potencial de valorização de 75,87% em relação ao fechamento de terça-feira.

Em relatório enviado para clientes, o analista José Cataldo afirma que uma das vantagens competitivas da empresa é a diversificação de áreas de atuação. “Vemos a empresa como única no setor, pois opera em diversos ramos: construção civil, loteamento de terras, propriedades comerciais, shoppings centers, varejo e hotéis”, afirmou o analista no documento.

O analista destaca também que a empresa tem foco em alta renda, o que a afasta de competidores que atuam em outras faixas e proporciona um fluxo de caixa confortável, já que esse público tende a realizar adiantamentos maiores nos pagamentos.

Embora mantenha uma visão favorável para a empresa, o analista da Ágora destacou alguns riscos. Um deles é o fato de a empresa trabalhar com poucos projetos de grande escala e um problema que ocorra em qualquer um deles acaba tendo forte impacto para a empresa.

Outro ponto da estratégia que pode causar riscos se mal executado é a compra de terrenos, que estão sujeitas a serem feitas por valores muito altos.

Além disso, ele destaca fatores macroeconômicos entre os possíveis riscos, como crescimento baixo do Produto Interno Bruto (PIB) ou aumentos na taxa Selic.

Tópicos: Análises fundamentalistas, Mercado financeiro, Bolsas de valores, Bovespa, Construção civil e intermediação, JHSF