São Paulo - A BRF (BRFS3) é a queridinha dos fundos de investimento no setor de alimentos. É o que mostra um levantamento feito pela consultoria Economática divulgado nesta sexta-feira (26).

Dos R$ 6,469 bilhões investidos pelos fundos em ativos do setor, R$ 4,825 bilhões estão em papéis da BRF, o que representa 74,6% do total. 

A pesquisa leva em conta todos os tipos de instrumentos que as empresas têm disponíveis no mercado, como ações, opções, debêntures e recibo de ações no exterior, por exemplo.

Além da BRF, foram consideradas as companhias JBS (JBSS3), Marfrig (MRFG3), Minerva (BEEF3), Minupar (MNPR3), Laep (MILK33), M. Dias Branco (MDIA3), Cosan (CSAN3), São Martinho (SMTO3) e Tereos (TERI3).

Segundo a consultoria, 684 fundos de 176 gestoras alocam os seus recursos em ativos de empresas do setor de alimentos.

A Economática monitora mais de 15 mil fundos com base em informações da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

Quem mais aplica nos ativos da BRF é a gestora do Bradesco (BRAM), com quase R$ 874 milhões em papéis. Em seguida estão os fundos da Tarpon, com R$ 784,2 milhões.

Depois da BRF, a segunda queridinha dos fundos no setor alimentício é a JBS. Ao todo, os fundos aplicam R$ 934,3 milhões nos ativos da companhia. Veja abaixo o ranking completo.

Empresas Valor aplicado pelos fundos, em R$ milhões
BRF 4.825.052
JBS 934.325
Marfrig 51.438
Minerva 191.402
Minupar 55
Cosan 283.425
São Martinho 119.398
Tereos 294
Laep 12
M. Dias Branco 63.610
Total 6.469.013

Tópicos: Alimentos, Trigo, Aplicações, BRF, Sadia, Empresas, Alimentação, Alimentos processados, Carnes e derivados, Empresas brasileiras, Empresas abertas, Cosan, Atacado, Comércio, Economática, Fundos de investimento, Mercado financeiro, Aplicações financeiras, JBS, Indústrias de alimentos, Laep, M. Dias Branco, Marfrig, Minerva, São Martinho, Tereos