Queimando dinheiro

São Paulo - Os ADRs (recibos de ações) da Gol têm o pior desempenho entre os papéis de empresas brasileiras listados nas Bolsas dos Estados Unidos. É o que revela um levantamento feito pela consultoria Economática considerando o desempenho dessas companhias nos útlmos 12 meses. 

Apesar de ter ampliado em 2,3% a receita por passageiro no quarto trimestre de 2015, a companhia aérea ainda enfrenta dificuldade para fortalecer seu balanço financeiro. 

O quadro levou a equipe de análise do Citi a ponderar que os ADRs da Gol deveriam valer apenas 10 centavos de dólar na Bolsa de Nova York (NYSE). Em 11 de fevereiro, eles valiam 0,45 centavos de dólar. 

Um fator que poderia ajudar a companhia, segundo o Citi, seria o governo autorizar grupos estrangeiros a controlar até 100% do capital de companhias aéreas no Brasil. 

Outras companhias brasileiras também veem suas ações derreterem no mercado norte-americano. Os ADRs da Petrobras, por exemplo, atingiram recentemente seu menor valor em 11 anos.

As ações da petroleira têm sofrido com os desdobramentos da Operação Lava Jato, a queda constante nos preços do petróleo e ainda seu alto grau de endividamento em dólar. 

Algumas empresas vão na contramão do movimento negativo e viram seus ADRs subirem no acumulado dos últimos 12 meses. É o caso de Braskem, que disparou 34%, Eletrobras (17%) e Sabesp (8%).

Navegue pelas fotos da galeria e veja a lista completa da Economática, atualizada até o dia 11 de fevereiro de 2016.

Tópicos: Ambev, Bebidas, Empresas, Bebidas e fumo, Empresas belgas, Empresas abertas, Bradesco, Bancos, Empresas brasileiras, BrasilAgro, Imóveis comerciais e shoppings, Empresas argentinas, Braskem, Química e petroquímica, BRF, Sadia, Alimentação, Alimentos processados, Carnes e derivados, Cemig, Estatais brasileiras, Energia elétrica, Empresas estatais, Serviços, Copel, CPFL, CSN, Siderúrgicas, Siderurgia, Siderurgia e metalurgia, Eletrobras, Holdings, Embraer, Setor de transporte, Empresas de tecnologia, Fibria, Papel e celulose, Papel e madeira, Gafisa, Construção civil e intermediação, Gerdau, Itaú, Itaú Unibanco, Itaúsa, Brasil Telecom, Oi, 3G, Telecomunicações, Telemar, Operadoras de celular, Empresas portuguesas, PETR4, Petrobras, Capitalização da Petrobras, Petróleo, gás e combustíveis, Indústria do petróleo, Pão de Açúcar, Supermercados, Varejo, Comércio, Empresas francesas, Sabesp, Água, gás e saneamento, Santander, Empresas espanholas, Telefônica, TIM, Empresas italianas, Ultrapar, Vale, Mineração, Vivo