São Paulo – Em um extenso relatório de 156 páginas, os analistas do banco Credit Suisse deixaram clara a preferência para as ações brasileiras na América Latina. Das oito top picks listadas para a região em 2011, seis são brasileiras. Entre as small caps, o banco traz cinco entre as dez escolhas. “Mantemos a nossa preferência para o Brasil em relação ao México e outros países da América Latina”, revelam os 11 analistas que assinam o relatório.

Segundo o Credit Suisse, o país tem uma grande exposição ao retorno do crescimento global via as commodities, uma perspectiva positiva para os bancos na entrada de mais um ciclo de aperto monetário, cenário doméstico saudável com o crescimento do PIB em 5% em 2011 e valuations descontados depois de uma performance abaixo da média dos mercados na América Latina em 2010.

O Credit Suisse vê o Brasil negociando a um desconto em relação aos outros mercados da América Latina. Para 2011, a bolsa brasileira negocia a um múltiplo de 10,3 vezes o preço sobre o lucro (P/L), enquanto o México negocia a 16,4 vezes.

As preferidas do banco na América Latina são Banco do Brasil, Braskem, Pão de Açúcar, Cosan, Grupo México, Itaú-Unibanco, Mexichem e Vale. Para as small caps, a lista inclui: Amil, Andina, Banrisul, Chedraui, Compartamos, Energias do Brasil, Grupo Famsa, HRT Participações, Iochpe-Maxion e OHL México.

Leia Mais: OGX tem maior baixa desde dezembro com poço seco

Direto da Bolsa: Cesp ganha destaque com rumores de sua venda

Tópicos: Amil, Empresas, Setor de saúde, Serviços, Empresas abertas, Empresas americanas, Análises fundamentalistas, Mercado financeiro, Ações, Banco do Brasil, Bancos, Empresas brasileiras, Banrisul, Bolsas de valores, Bolsas, Braskem, Química e petroquímica, Cosan, Alimentos processados, Atacado, Comércio, Itaú, Pão de Açúcar, Supermercados, Varejo, Empresas francesas, Vale, Siderúrgicas, Mineração