São Paulo - O principal índice da Bovespa recuava nos primeiros negócios desta sexta-feira, contaminado pelo cenário externo negativo, com nova bateria de resultados corporativos no radar, incluindo os números da BM&FBovespa.

Às 11:30, o Ibovespa caía 0,74 por cento, a 41.170,84 pontos. O volume financeiro era de cerca de 500 milhões de reais.

No exterior, os futuros acionários em Wall Street sinalizavam uma abertura fraca em meio ao declínio dos preços do petróleo , com dados sobre estoques nos Estados Unidos pressionando a commodity após alta na semana.

Destaques

- SANTANDER BRASIL recuava 3,65 por cento, liderando as perdas do Ibovespa. Funcionários da instituição financeira foram liberados para vender a partir desta sexta-feira as ações recebidas dentro programa de diferimento, conforme disse à Reuters fonte com conhecimento do assunto.

- PETROBRAS mostrava as preferenciais em queda de 1,7 por cento, acompanhando o recuo nas cotações do petróleo no exterior.

- VALE tinha as preferenciais em alta de 0,24 por cento, em manhã volátil, com a sessão marcada por nova alta dos preços do minério de ferro na China <.IO62-CNI=SI>.

- BMF&BOVESPA recuava 0,6 por cento, após resultado trimestral, com receita líquida de 543,2 milhões de reais, alta de 1,8 por cento ante um ano antes, com destaque para o segmento BM&F. Analistas afirmaram que o foco segue na potencial operação de fusão ou aquisição da CETIP.

- SUZANO PAPEL E CELULOSE cedia 0,3 por cento, com balanço do quarto trimestre também sob o foco. Apesar de reverter prejuízo em relação ao ano anterior, o lucro de 341 milhões de reais ficou abaixo do esperado no mercado.

- RAIA DROGASIL oscilava perto da estabilidade por cento, mesmo após reportar lucro de 78,3 milhões de reais no quarto trimestre, alta de 25,5 por cento sobre o mesmo período um ano antes. Na comparação com o terceiro trimestre, porém, houve queda de cerca de 7 por cento.

- COSAN avançava 3 por cento, destacando-se entre as poucas altas do Ibovespa, após informar lucro de 674,2 milhões de reais no quarto trimestre, revertendo prejuízo de 83,5 milhões de reais no mesmo período de 2014.

- USIMINAS retomava o viés positivo, com ganho de 4,6 por cento, em sessão de ganhos do setor siderúrgico como um todo no Ibovespa.

Texto atualizado às 11h47.

Tópicos: Ações, Bolsas de valores, Bolsas, Bovespa