São Paulo - A Bovespa avança perto de 5% na largada desta sexta-feira, 4, à medida em que a crise no Planalto ganha força com a condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As ações da Petrobras ainda estão em leilão.

Os papéis do Banco do Brasil e da Usiminas abriram e voltaram a entrar em leilão, diante de avanço de 15% e 25%, respectivamente.

As ações da Vale e da Bradespar subiam mais de 9%. Às 10h35, o Ibovespa subia 5,05%, aos 49.574,30 pontos. Só nesta semana até o horário deste texto, a Bovespa acumulava valorização de quase 20%.

Perto do horário das 10h35, Lula estava sendo ouvido pela Polícia Federal no aeroporto de Congonhas para prestar esclarecimentos nas investigações na 24ª fase da Operação Lava Jato, como parte das investigações de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Em nota, o Instituto Lula disse que a Operação Lava Jato "desrespeita o Supremo e compromete sua credibilidade".

No exterior, o clima é de bom humor graças ao relatório de emprego nos EUA (payroll). Em fevereiro, a economia norte-americana criou 242 mil empregos, acima da previsão de +200 mil.

Com isso, o dólar e os juros dos Treasuries aceleraram os ganhos instantes atrás. No horário acima, os futuros das bolsas de Nova York subiam menos de 1%, depois de terem mostrado sinal negativo mais cedo.

Tópicos: Bolsas de valores, Bovespa, Presidente Lula, Luiz Inácio Lula da Silva, Personalidades, Políticos, Políticos brasileiros, PT, Política no Brasil, Operação Lava Jato, Petrobras, Empresas, Capitalização da Petrobras, Estatais brasileiras, Petróleo, gás e combustíveis, Empresas brasileiras, Empresas estatais, Empresas abertas, Indústria do petróleo