Nova York – As bolsas de Nova York fecharam em queda nesta segunda-feira, 8 - com o índice S&P-500 registrando o fechamento mais baixo em quase dois anos - pressionadas pelo declínio dos preços do petróleo, além de preocupações com o sistema bancário Europeu e com a desaceleração da economia.

O índice Dow Jones fechou em queda de 177,92 pontos (1,10%), aos 16.027,05 pontos. O Nasdaq fechou em queda de 79,39 pontos (1,82%). O S&P-500 fechou em queda de 26,61 pontos (1,42%), em 1.853,44 pontos - o pior fechamento desde abril de 2014.

Uma nova queda dos preços do petróleo, em decorrência das preocupações dos investidores com os excedentes globais da commodity, pesaram sobre as ações de materiais, que tiveram o pior desempenho no S&P-500, com uma queda de 2,7%, seguido pelo setor de finanças, que caiu 2,6%. O setor de energia, no entanto, foi resiliente, e o único que fechou no terreno positivo: +0,1%.

Hoje o petróleo Brent para abril caiu US$ 1,18 (3,46%) e fechou a US$ 32,88 por barril, na ICE, e o petróleo para março recuou US$ 1,20 (3,88%) e fechou cotado a a US$ 29,69 por barril, na Nymex.

Algumas companhias de energia sofreram perdas. A Chesapeake Energy, por exemplo, recuou 33,2%, e a Williams Companies despencou 34,9%. As gigantes Visa e Goldman Sachs Group lideraram as perdas, recuando 5,3% e 4,6%, respectivamente.

O setor financeiro foi pressionado pelas preocupações com os balanços das instituições causadas pelas taxas de juros muito baixas e o aumento dos spreads de crédito.

A onda de vendas do setor bancário teve início na Europa, onde as ações dos bancos tiveram grandes perdas nesta segunda-feira. "Mas o setor também foi atingido nos EUA, com a perspectiva dos investidores de que o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) pode adiar os esperados aumentos de juros que os bancos estavam antecipando para impulsionar seus balanços", disse Sahak Manuelian, da Wedbush Securities.

Hoje, as ações das companhias de tecnologia também recuaram. O Facebook viu seus papéis caírem 4,2% enquanto o Twitter perdeu 5,3%.

Fonte: Market News International

Tópicos: Ações, Bolsas de valores, Bolsas, Nova York, Metrópoles globais, Energia, Petróleo