Londres - Um dos principais índices acionários europeus recuou a seu menor nível em dois anos e meio nesta quinta-feira, pressionado pelos novos tombos nas ações bancárias e de mineradoras, com o banco francês Société Générale caindo após resultados decepcionantes.

Às 8:02 (horário de Brasília), o índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 tinha queda de 3,25 por cento, a 1.201 pontos, atingindo seu menor nível desde agosto de 2013.

O índice teve ganho de 1,8 por cento na sessão anterior, quebrando uma sequência de sete dias seguidos de perdas. Mas uma queda de cerca de 11 por cento até o momento em fevereiro coloca o índice a caminho de ter sua maior queda mensal desde 2008. Ele já acumula desvalorização de mais de 16 por cento este ano.

Os bancos caíam 5,8 por cento, maior queda setorial.

O setor já recuou mais de 10 por cento nesta semana, com as preocupações sobre a rentabilidade em um ambiente de juros baixos e crescimento pequeno atingindo a confiança no setor.

A maior queda do setor era do Société Générale, que recuava mais de 14 por cento após divulgar um crescimento menor do que o esperado no seu lucro líquido do quarto trimestre, atingido por um adicional de 400 milhões de euros para cobrir custos de litígio.

Entre as mineradoras, a Rio Tinto recuava 4,9 por cento após a companhia registrar prejuízo anual e desfazer sua promessa de manter ou elevar seus dividendos anualmente, deste ano em diante, devido à perspectiva difícil.

O setor de matérias-primas caía cerca de 4,5 por cento.

Tópicos: Ações, Bolsas de valores, Bolsas, Mineradoras