São Paulo – As ADRs (recibos de ações) da Gol negociadas na Bolsa de Nova York (NYSE) deveriam estar cotadas a 10 centavos de dólar. Essa é a visão do analista Stephen Trent, do Citi Research. Hoje (02), essas ADRs valiam 0,68 centavos de dólar.

“Parece que a Gol e seus componentes estão tentando determinar como recapitalizar seu balanço financeiro. Se a solução para isso fosse fácil, nós suspeitamos que as ações já teriam sido tomadas”, escreve o analista.

O relatório foi enviado a clientes do Citi após a Gol apresentar os dados operacionais do quarto trimestre de 2015. Entre outros números, a companhia revelou que teve uma alta de 2,3% na receita por passageiro no quarto trimestre de 2015.

Além disso, o jornal Valor Econômico afirma que o governo estuda autorizar grupos estrangeiros a controlar até 100% do capital de companhias aéreas no Brasil. Hoje essa participação está limitada a 20%.

Desde ontem (01), as ações preferenciais da Gol (GOLL4) já acumulam ganhos de 87%, enquanto as ADRs da companhia registram alta de 27%.

Para o analista do Citi, novas contribuições de capital na Gol de acionistas como a Delta Airlines (que são constantemente discutidas no mercado como uma das soluções para diminuir sua dívida) ou a adoção de novas medidas pelo governo brasileiro podem ser apenas parte da solução.

"Não está claro por que as decisões dessas entidades consideram a criação de valor para os acionistas minoritários da Gol como objetivo primário, ao invés de focar em manter as operações aéreas em andamento. Eliminar as restrições à propriedade estrangeira pode significar que companhias estrangeiras assumem arrendamentos de aviões, ao invés de empreender aquisições completas”, explica Trent. 

Tópicos: Ações, Gol, Aviação, Empresas, Setor de transporte, Empresas brasileiras, Serviços, Companhias aéreas