São Paulo - Confira as principais novidades do mercado nesta quarta-feira (9)

Delcídio cita Renan Calheiros e Aécio Neves em delação

A delação premiada do senador Delcídio do Amaral (PT-MS) cita integrantes das cúpulas do PMDB, PSDB e PT, de acordo com a Folha de S.Paulo. Delcídio fez referência ao senador Aécio Neves, do PSDB, mas o jornal não teve acesso ao que foi dito sobre ele. Neves já foi citado pelo doleiro Alberto Yousseff e pelo transportador de valores Carlos Alexandre Rocha, o Ceará. Entre os nomes citados por Delcídio, segundo o jornal, também estão o do presidente do Senado, Renan Calheiros; Edison Lobão; Romero Jucá; e Valdir Raupp, todos do PMDB.

Governo quer que Petrobras invista fora do pré-sal

O governo quer que a Petrobras invista mais em campos que não são do pré-sal, que hoje estariam subaproveitados, sob pena de ter de devolver as áreas à União, segundo o jornal O Estado de S. Paulo. A pressão do governo tem como alvo principal a Bacia de Campos, onde estão os blocos responsáveis por quase metade da produção nacional. Embora os campos estejam em fase de declínio, se receberem investimentos, eles podem produzir mais de 200 mil barris de petróleo por dia, rendendo R$ 800 milhões por ano ao governo do Estado do Rio.

Lucro de bancos cresceu em 2015, mas já está em queda

A tendência de queda nos lucros observada nos cinco maiores bancos varejistas do Brasil no quarto trimestre de 2015 deve se aprofundar em 2016, segundo o jornal Valor Econômico. Entre setembro e dezembro, Itaú, Bradesco, Santander, Banco do Brasil e Caixa Econômica lucraram, juntos, R$ 15,23 bilhões, o que representa uma queda de 5,65% em relação ao mesmo período de 2014. O Itaú já informou que seu lucro pode cair cerca de 15% neste ano; o Credit Suisse aponta uma queda de 14% para o Bradesco.

Com recessão, distribuidoras têm sobra de energia

As distribuidoras de energia estão operando com 11% de sobra sobre a demanda do consumidor final, enquanto as geradoras enfrentam dificuldades como atrasos em obras e produção menor que a esperada. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, a situação inusitada se deve à recessão econômica no país. Para minimizar os prejuízos, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estuda flexibilizar a negociação dos contratos entre geradoras e distribuidoras.

Dilma sanciona medida que amplia licença paternidade

A presidente Dilma Rousseff sancionou integralmente, sem vetos, o Marco legal de atenção à primeira infância (de zero a 6 anos). Entre outras medidas, o texto prevê o aumento da licença paternidade de 5 para 20 dias. O Marco visa atender crianças de 0 a 6 anos com um conjunto de ações de saúde, educação e alimentação. Além disso, o texto obriga a União a manter os registros com os dados de desenvolvimento das crianças atendidas por todos os programas.

MP que sobe IR de juros sobre capital perde validade

A Medida Provisória 694, que eleva o Imposto de Renda incidente sobre o mecanismo de juros sobre capital próprio, uma das medidas de ajuste fiscal do governo, perdeu a validade nesta terça-feira, já que o Senado não apreciou a matéria aprovada na Câmara dos Deputados na semana passada. O presidente do Senado, Renan Calheiros, se recusou a ler a MP no plenário.

Casino tem prejuízo de 43 milhões de euros em 2015

O conglomerado varejista francês Casino Guichard-Perrachon, controlador do Grupo Pão de Açúcar no Brasil, teve prejuízo líquido de 43 milhões de euros (US$ 47,19 milhões) em 2015, revertendo lucro de 253 milhões de euros obtido no ano anterior. Em comunicado, o Casino atribuiu seu fraco desempenho às operações brasileiras e a sua exposição a moedas fracas.

Latam Airlines tem prejuízo de US$ 219,2 mi em 2015

A Latam Airlines, maior grupo de transporte aéreo da América Latina, divulgou prejuízo de US$ 219,2 milhões em 2015, afetada pela retração econômica no Brasil, o que reduziu seu plano de aquisição de aviões nos próximos três anos. O resultado anual do conglomerado, que inclui as operações da chilena LAN e da brasileira TAM, ocorreu após prejuízo de US$ 16 milhões entre outubro e dezembro.

Lucro do Iguatemi cai 35,5% no 4º trimestre, para R$ 42 milhões

A empresa de shoppings Iguatemi registrou lucro líquido de R$ 42,2 milhões no último trimestre do ano passado, uma queda de 35,5% na comparação com o mesmo período de 2014, de acordo com informações do Valor Econômico. A receita líquida subiu 3,3% na mesma comparação, passando de R$ 166,6 milhões para R$ 172,1 milhões; as vendas da empresa subiram 15%.

Moody's corta rating da Arcos Dorados, franquia do McDonald's

A agência de classificação de risco Moody's rebaixou a nota de crédito da Arcos Dorados de "Ba3" para "B1", além de ter revisado a perspectiva do rating de estável para negativa, segundo o jornal Valor Econômico. O ambiente econômico fraco nos países em que a rede opera foi a justificativa para o rebaixamento, de acordo com a Moody's, indicando especialmente a crise no Brasil, onde a empresa gera boa parte de sua receita.

Tópicos: Empresas argentinas, Comida rápida, Arcos Dourados, Empresas, Aécio Neves, Personalidades, Políticos, Políticos brasileiros, Política no Brasil, Balanços, Bancos, Finanças, Casino, Comércio, Delcídio do Amaral, Energia, Energia elétrica, Serviços, Iguatemi, Shopping centers, Imóveis comerciais e shoppings, Impostos, Imposto de Renda, Leão, IR, LATAM, Companhias aéreas, Mercado financeiro, Moody's, Petrobras, Capitalização da Petrobras, Estatais brasileiras, Petróleo, gás e combustíveis, Empresas brasileiras, Empresas estatais, Empresas abertas, Indústria do petróleo, Pré-sal, Renan Calheiros