São Paulo - Confira as principais novidades do mercado nesta segunda-feira (7):

Nada é tão ruim que não possa piorar

A crise política brasileira não mostra sinais de recuperação. De acordo com reportagem da Folha de S. Paulo, o MTST (Movimentos dos Trabalhadores Sem Teto) divulgou um manifesto contra a presidente Dilma em que a acusa de defender “pautas de direita”. O MTST, que apoiou o anti-impeachment em dezembro, anuncia uma série de manifestações, bloqueios e ações contra o governo Dilma.

Enquanto isso, seu padrinho político, o ex-presidente Lula, pode ser impedido de concorrer à presidência em 2018. Ainda de acordo com o jornal, se ficar comprovado pelas investigações da Lava Jato que as empreiteiras envolvidas no esquema de corrupção da Petrobras pagaram obras no sítio em Atibaia frequentado por Lula e sua família, o ex-presidente pode ser alvo de ação civil de improbidade administrativa e, consequentemente, proibido de disputar as eleições.

Ao mesmo tempo, o pecuarista e amigo de Lula, José Carlos Bumlai, estaria negociando um acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal, segundo o Valor Econômico. Além de esclarecimentos sobre o sítio, o MPF quer saber de Bumlai se Lula sabia do esquema na Petrobras envolvendo o PT, o grupo Schahin e o próprio Bumlai.

Furnas e Brookfield podem assumir transmissão de Belo Monte

A estatal Furnas, do Grupo Eletrobras, e a empresa canadense de investimentos Brookfield avaliam a possibilidade de adquirir ativos do setor elétrico que hoje estão nas mãos da Abengoa. A maior preocupação do governo é encontrar um comprador para concluir as obras do chamado "linhão pré-Belo Monte", um projeto de 1.854 km de extensão. Estimado em R$ 1,3 bilhão, o contrato foi vencido pelos espanhóis da Abengoa no fim de 2012, com o compromisso de ser entregue em operação em fevereiro passado. Sem dinheiro, a empresa paralisou as obras.

Sem parar pode ser vendida a empresa americana por R$ 4 bilhões

A STP, dona da Sem Parar, companhia de serviços de pagamento eletrônico para pedágios e estacionamentos, está negociando com a americana FleetCor para vender 100% do controle da empresa por R$ 4 bilhões. A formalização do negócio pode ser divulgada nos próximos dias.

Desemprego entre jovens ameaça geração

A taxa de desocupação entre jovens de 18 a 24 anos fechou o ano de 2015 em 16,8%, de acordo com informações publicadas pela Folha de S. Paulo. O desemprego nessa faixa etária foi o que mais cresceu entre os grupos etários. As perspectivas para 2016 não são otimistas: dados do IBGE referentes a janeiro deste ano pontam um aumento de seis pontos comparado ao mesmo período do ano passado.

Brasileiros pagam mais caro por cesta básica que países vizinhos

O Brasil ocupa a 76ª posição entre as cestas básicas mais baratas do mundo: os brasileiros gastam 24,9% do salário para comprar os alimentos como carne, leite, arroz, massas, batatas, alface, tomates e frutas. O percentual é maior do que os argentinos, uruguaios e venezuelanos tem que tirar de seus salários médios. Na Argentina, por exemplo, a cesta básica equivale a 19,2% do orçamento.

China defina meta de alta do PIB entre 6,5% e 7% para 2016

O governo da China definiu a meta de crescimento do PIB entre 6,5% e 7% para 2016, contra 7% de 2015, em meio à queda da economia do país. Entre outros indicadores, a inflação deve ser mantida por volta de 3%, como em anos anteriores; devem ser criados 10 milhões de postos de trabalho urbanos (foram gerados 13,12 milhões em 2015); e haver um aumento de 7,6% no orçamento de defesa, o menor dos últimos seis anos.

Pernambuco rompe contrato com Odebrecht

O governo de Pernambuco pôs fim ao contrato com a Obebrecht na parceria público-privada da Arena Pernambuco, construída para a Copa do Mundo, segundo reportagem publicada pelo jornal Valor Econômico. A empreiteira seria responsável por atrair investimentos para o empreendimento, mas, como o acordo não se concretizou, o estado de Pernambuco estava arcando com milhões como contraprestação à concessionária. Agora, o governo vai abrir uma concorrência internacional para substituir a Odebrecht na gestão da Arena.

Argentina chega a novo acordo sobre dívida com 10 credores

A Argentina chegou a novos acordos no valor de US$ 6,7 milhões com dez credores em Nova York como parte do litígio judicial pelo pagamento dos bônus da dívida do país que é tratado nos Estados Unidos. Os pactos se baseiam nas mesmas condições de pagamento que o restante dos já estipulados e aceitos pela maioria dos credores: a derrubada, pelo Congresso da Argentina, da Lei do Ferrolho e da Lei de Pagamento Soberano, assim como a suspensão das medidas cautelares que impediam o país de realizar os pagamentos.

MPF investiga Arcos Dorados, franquia do McDonald's

O Ministério Público Federal iniciou uma investigação civil contra a Arcos Dorados, maior franquia da rede de fast food McDonald's no mundo e maior operador dos restaurantes da cadeia na América Latina e Caribe, e outros grupos de franquia sobre supostas violações da lei de franquias, provisões antitruste e evasão fiscal, de acordo com um documento do ministério. O McDonald's remeteu as questões para a Arcos Dorados, que disse que não foi oficialmente notificada da ação.

Moody's revisa nota da Rússia e rebaixa perspectiva da Venezuela

A agência de classificação de risco Moody's colocou o rating da Rússia (atualmente em "Ba1") em revisão para possível rebaixamento. Além disso, a agência revisou a perspectiva da nota da Venezuela (hoje em "Caa3") de estável para negativa. Sobre a Rússia, a Moody's falou que vai avaliar o impacto da queda do petróleo; sobre a Venezuela, a agência citou as incertezas econômicas e políticas no país. As informações são do Valor Econômico.

Tópicos: Argentina, América Latina, Belo Monte, Energia elétrica, Usinas, Brookfield, Empresas, Construção civil e intermediação, Ásia, China, Dilma Rousseff, Personalidades, Políticos, Políticos brasileiros, PT, Política no Brasil, Dívidas de países, Eletrobras, Estatais brasileiras, Holdings, Empresas estatais, Serviços, Presidente Lula, Luiz Inácio Lula da Silva, McDonald's, Alimentação, Comida rápida, Hotelaria e Restaurantes, Empresas americanas, Comércio, Franquias, Moody's, Odebrecht, Empresas brasileiras, Operação Lava Jato, Pernambuco, Petrobras, Capitalização da Petrobras, Petróleo, gás e combustíveis, Empresas abertas, Indústria do petróleo, PIB, Indicadores, Europa, Rússia, Venezuela