São Paulo - Confira as principais novidades do mercado nesta segunda-feira (15)

Dilma aceita alterar regras sobre o pré-sal

De acordo com informações publicadas pelo jornal Valor Econômico, a presidente Dilma Rousseff aceitou redefinir algumas regras sobre o papel da Petrobras na exploração de petróleo no pré-sal desde que a estatal continue tendo preferência nos leilões. A mudança de posicionamento de Dilma acontece no momento em o senado vai votar o projeto que acaba com o monopólio da Petrobras como operadora do pré-sal, assinado pelo senador José Serra. 

Renda média do brasileiro recua diante de outros emergentes

Estamos cada vez mais pobres que nossos pares: a renda per capita do brasileiro diminuiu — passou de US$ 16,2 mil em 2014 para US$ 15,7 mil em 2015. Segundo dados do FMI, o Brasil fica 10% abaixo da média de outros emergentes, como China, Índia, Indonésia e Peru.

Queiroz Galvão sente os efeitos da Operação Lava Jato

O grupo pernambucano Queiroz Galvão demorou, mas está sentindo os efeitos da Operação Lava Jato. A construtora, que responde por 60% do faturamento, não fechou nenhum novo contrato no Brasil em 2015, o que reduziu 20% de suas receitas. A empresa naval, as siderúrgicas e a incorporadora tiveram prejuízo no último semestre e fecharam o ano no vermelho. Entre 2015 e 2016, a previsão é de que o grupo demita   3.200 funcionários — o equivalente a 7% do total de empregados.

PIB do Japão cai 1,4% entre outubro e dezembro

A economia japonesa encolheu 1,4% no último trimestre de 2015. Em todo o ano passado, o PIB do Japão cresceu 0,4%, após ficar estagnado em 2014. Para os analistas, as contrações do PIB se devem à desaceleração do consumo doméstico privado, que entre outubro e dezembro diminuíram 0,8%.

Governo limita gastos de órgãos federais

A presidente Dilma Rousseff editou na sexta-feira (12) um novo decreto estabelecendo o limite de valores a serem gastos pelos ministérios e órgãos do governo federal até o mês de março. Em nota, o Ministério do Planejamento afirmou que as despesas ficam limitadas a R$ 146,6 bilhões, sendo R$ 124,6 bilhões em despesas obrigatórias e R$ 22 bilhões em despesas discricionárias, que são passíveis de corte.

Em cinco anos, haverá mais pessoas com celular que com luz e água

De acordo com previsões da empresa de tecnologia Cisco, 70% da população mundial será usuária de dispositivos móveis em 2020. A estimativa de que 5,4 bilhões de pessoas tenham celulares extrapola as previsões de acesso à serviços como água potável (3,5 bilhões) e eletricidade (5,3 bilhões).

CSN é multada R$ 13 milhões

A Justiça do Rio condenou a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) a pagar R$ 13 milhões por ter descumprido um acordo ambiental de 2010. O acordo previa controle de efluentes líquidos, águas pluviais, emissões atmosféricas, riscos potenciais e ruídos na Usina Presidente Vargas, em Volta Redonda, no Rio de Janeiro.

Petros vende participação de 10% na Dasa

A Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros) vendeu toda a sua participação acionária na empresa de saúde Dasa. De acordo com dados da Bovespa, a fundação da Petrobras era dona de 10% do capital social da Dasa.

Brasileiras caem no exterior e ações valem centavos

As ações de empresas brasileiras estão derretendo no exterior — algumas chegam a registrar queda 88%. As ADRs da Gol, por exemplo, têm o pior desempenho entre os papéis de empresas brasileiras listados nas Bolsas dos Estados Unidos. A estatal Petrobras também não sai ilesa, suas ADRs atingiram recentemente o menor valor em 11 anos.

Mercedes coloca 1,5 mil funcionários em licença remunerada

Com a queda de 38% nas vendas de veículos em janeiro, a montadora alemã Mercedez-Benz vai dar licença remunerada a partir do dia 17 a 1,5 mil funcionários da unidade de São Bernardo do Campo, em São Paulo. O número representa 15% do total dos 10 mil trabalhadores da fábrica. 

Tópicos: ADR, Ações, Eletricidade, Ásia, Japão, Países ricos, Mercado financeiro, Empresas, Mercedes-Benz, Montadoras, Empresas alemãs, Odebrecht, Empresas brasileiras, Países emergentes, Fundos de pensão, Petros, PIB, Indicadores, Raízen, Comércio, Renda, Renda per capita, Smartphones, Indústria eletroeletrônica, Água