São Paulo - Confira as principais novidades desta quinta-feira (21):

1 - Copom mantém juros em 14,25% após carta polêmica

O Comitê de Política Monetária do Banco Central decidiu manter a taxa Selic em 14,25%. É a quarta vez seguida que os juros são mantidos neste patamar. A decisão surpreendeu uma parte dos analistas, que esperavam uma alta de 0,25 ou de 0,50 ponto percentual.

2 - Diretor-presidente da Samarco é afastado do cargo

O diretor-presidente da Samarco, Ricardo Vescovi, foi afastado do cargo. O afastamento foi a pedido, segundo comunicado. A Samarco é investigada pela Polícia Federal, Polícia Civil, Ministério Público Federal e Ministério Público Estadual.

3 - 2015 foi o ano em que mais empresas fecharam nesta década

Segundo reportagem publicada pelo jornal Valor Econômico, de janeiro a outubro do ano passado, 302,7 mil empresas fecharam as portas.

4 - Renova Energia corta até 80 funcionários, diz fonte

A investidora em geração renovável anunciou uma reestruturação de quadro de pessoal devido às atuais condições do mercado e ao cancelamento de uma operação pela qual venderia 13,4 bilhões de reais em ativos à TerraForm Global, informou a empresa. A companhia, controlada pela Cemig, disse que a medida faz parte de uma revisão de seu plano de negócios. Uma fonte a par do assunto disse que entre 70 e 80 funcionários foram demitidos.

5 - BHP corta projeção para minério após acidente da Samarco

A maior mineradora do mundo reduziu sua previsão anual para minério de ferro depois que sua joint venture no Brasil foi paralisada após o desastre em Mariana (MG). As ações caíram para o patamar mais baixo em 11 anos em Sidney. A produção deve ser de 237 milhões de toneladas nos 12 meses até 30 de junho, em comparação com a estimativa de julho de 247 milhões de toneladas.

6 - Emergentes perderam US$ 735 bi em 2015 liderados por China

Os investidores globais e empresas retiraram US$ 735 bilhões de mercados emergentes em 2015, pior fuga de capital em pelo menos 15 anos, disse o Instituto de Finanças Internacionais. O montante foi quase sete vezes maior que o registrado em 2014, e a China foi a maior perdedora: US$ 676 bilhões deixaram seus mercados.

7 - Número de estrangeiros trabalhando no Brasil cresceu 26,3% entre 2013 e 2014

No período, 111,8 mil estrangeiros tornaram-se mão de obra no mercado brasileiro. Mais de 8 mil deles trabalham em atividades como abate e fabricação de produtos de carne e 5,8 mil imigrantes foram contratados em restaurantes, de acordo com informações divulgadas pelo Valor Econômico.

8 - Corporación América planeja IPOs se Argentina fizer acordos

O bilionário Eduardo Eurnekian planeja listar publicamente quatro unidades de sua holding este ano se Buenos Aires fizer um acordo com credores norte-americanos que estão processando o país por dívidas não pagas. Eurnekian quer listar negócios de aeroportos, a empresa de energia Compañía General de Combustibles e os negócios de produção de microchips, assim como uma unidade voltada à agroindústria

9 - Estudo da Fipe indica 3 anos seguidos de recessão no Estado de São Paulo

De acordo com informações publicadas pelo jornal Folha de S. Paulo, a pesquisa indica também que houve queda de 4% no PIB do estado em 2015 e que neste ano o PIB deve cair, pelo menos, 2,6%.

10 - Deutsche Bank prevê fim do papel moeda em 10 anos

O presidente do Deutsche Bank, um dos maiores bancos da Europa, afirmou que dentro de uma década não estaremos usando cédulas. Para ele, o papel moeda é desnecessário, ineficiente e caro.

Tópicos: Argentina, América Latina, Banco Central, Mercado financeiro, Mineração, Siderurgia e metalurgia, BHP Billiton, Empresas, Cemig, Estatais brasileiras, Energia elétrica, Empresas brasileiras, Empresas estatais, Serviços, Empresas abertas, Ásia, China, Juros, Copom, Corporação América, Demissões, Desemprego, Gestão, IPOs, Joint-ventures, Acordos empresariais, Mariana (MG), Setores, Indústria, Países emergentes, Renova Energia, Samarco, Selic, Estatísticas, Indicadores, Vale, Siderúrgicas