São Paulo - Aqui está o que você precisa saber:

1 - Petrobras eleva em 6% preço do diesel nas refinarias. A Petrobras reajustará o preço do diesel em 6 por cento nas refinarias a partir da próxima segunda-feira (16), em um movimento para reduzir a defasagem do combustível em relação ao mercado internacional.O aumento do diesel estimado ao consumidor final será de cerca de 4 por cento, afirmou a estatal em comunicado nesta quinta-feira, sem explicar a razão de o percentual nas bombas ser inferior ao das refinarias.

2 - China: PIB sobe 7,6% no 2º tri, pior desempenho em seis anos. O Produto Interno Bruto (PIB) da China cresceu 7,6% no segundo trimestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2011. Esta foi a menor taxa de crescimento desde o primeiro trimestre de 2009, o que ressalta as dificuldades enfrentadas pela segunda maior economia do mundo. Os dados, divulgados pelo Escritório Nacional de Estatísticas, representam uma diminuição no ritmo de crescimento em comparação com o PIB de 8,1% do primeiro trimestre, mas vieram em linha com a previsão média de 7,6% de 15 economistas consultados pela Dow Jones.

3 - Moody's reduz rating da Itália e mantém perspectiva negativa.
A agência de classificação de risco Moody''s rebaixou na quinta-feira o rating da dívida do governo da Itália de ''A3'' para ''Baa2'' e manteve a perspectiva negativa do país. ''É mais provável que a Itália tenha um novo aumento significativo dos custos de seu financiamento ou a perda de acesso aos mercados do que quando realizamos nossa qualificação há cinco meses'', explica a agência em comunicado.

4 - TIM cai quase 8% na bolsa após governo ameaçar suspender vendas.
Os papéis da TIM Participações (TIMP3) sofreram no pregão uma forte queda de 7,46%, aos 9,80 reais. A desvalorização veio após Paulo Bernardo, ministro das Comunicações, levantar a hipótese na quinta-feira de suspender a venda de novos planos de telefonia móvel da TIM caso a operadora não acelere os investimentos em suas redes para melhorar a qualidade do serviço em algumas regiões do país.

5 - Moody’s atribui notas à CPFL Renováveis.
A Moody’s atribuiu notas à CPFL Renováveis, empresa constituída em agosto de 2011. O rating corporativo em moeda local na escala global da companhia é “Ba2”. Já o em escala nacional, é “Aa3”. A perspectiva é estável. “Os ratings corporativos refletem a experiência da empresa na construção e operação de pequenas usinas hidrelétricas, termoelétricas e biomassa”, explicou a agência, em comunicado. Para ela, as notas também mostram o suporte dos acionistas e a diversificação da carteira de fontes de energia. Outro fator que contribuiu para a nota é que os fluxos de caixa devem ser relativamente estáveis, já que a empresa possui “contratos de fornecimento de energia de médio e longo prazo”.

6 - Perdas do real surpreendem até campeões de previsões para câmbio. A desvalorização do real completa um ano e surpreende até mesmo os analistas que mais acertam em suas previsões. As estimativas do Crédit Agricole para a taxa de câmbio, cujas projeções foram as mais acertadas nos últimos seis trimestres, ficaram em média 7,9 por cento fora dos níveis atingidos pelo real, segundo estudo da Bloomberg Rankings. Esse desvio aumentou em relação à média de 5,9 por cento ao final de março, quando o BNP Paribas era o mais próximo do acerto.

7 - Acionistas da PDG aprovam aporte da Vinci Partners. Os acionistas da PDG Realty aprovaram em assembleia o aporte de 800 milhões de reais da Vinci Partners na empresa. A proposta havia sido aprovada pelo conselho de administração da companhia no início de junho.

8 - Parceria com Itaú pode ajudar em rating do BMG, diz Fitch. A agência de classificação de risco Fitch está esperando receber mais detalhes e projeções sobre a recente joint-venture anunciada entre o Itaú Unibanco (ITUB3, ITUB4) e o BMG para concluir a revisão das notas de crédito do BMG. Dependendo do impacto sobre os índices de capitalização e lucratividade, os ratings poderão ser afetados. Atualmente, os IDRs (Issuer Default Rating – Rating de Probabilidade de Inadimplência do Emissor) de longo e de curto prazo em moeda estrangeira e local do banco são de "B", com perspectiva estável. Já o rating nacional de longo prazo da empresa é "BBB", também estável.

9 - BlackRock diminui participação na Eletropaulo.
A BlackRock vendeu parte das ações da Eletropaulo (ELPL3, ELPL4) que possuía, diminuindo assim sua participação na empresa de energia elétrica. Atualmente, a administradora de investimentos detém 4,91% do total das ações preferenciais, o que equivale a mais de 4,9 milhões de papéis. Em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a BlackRock afirma que o objetivo é estritamente de investimento e que não pretende alterar o controle acionário ou a estrutura administrativa da Eletropaulo.

10 - Gregos não confiam no governo para resolver crise, diz pesquisa.
A maioria dos gregos acredita que seu novo governo será incapaz de tirar o país da sua grave crise econômica, segundo uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira. Para pagar suas contas, a Grécia depende de um segundo pacote de resgate do Fundo Monetário Internacional e da União Europeia, num valor de 130 bilhões de dólares. Mas os credores exigem como contrapartida a continuidade de medidas de austeridade que contribuíram para levar o país à sua pior recessão desde a Segunda Guerra Mundial e elevar o desemprego à faixa dos 20 por cento.

Bônus 1: Os países com a dívida mais e menos arriscada do mundo

Bônus 2: Cemig sobe 50% e é destaque em dois índices

*Agência Estado, Bloomberg, EFE e Reuters

Tópicos: Bolsas de valores, Bovespa