No meio das vacas magras

São Paulo – O ano já está em sua reta final e o Ibovespa dá poucos indícios de que deve virar o jogo e sair do terreno negativo em que se encontra. Desde janeiro, o principal índice da bolsa brasileira acumula uma desvalorização de 14%.

Boa parte deste movimento é explicada pela gradual recuperação de países ricos e a desaceleração de emergentes, que têm mostrado novas alternativas de investimentos para os grandes investidores estrangeiros. O número de contas de pessoas físicas registradas no mercado de ações na BM&FBovespa caiu para 600.914 em setembro, abaixo das 616.788 contas do fim de agosto.

Em meio a este contexto, diversas empresas que compõem o Ibovespa têm negociado abaixo de seu valor patrimonial. O analista Marcelo Torto, da Ativa Corretora, lista a seguir algumas destas companhias. 

Tópicos: Bolsas de valores, Bovespa, BR Malls, Empresas, Shopping centers, Imóveis comerciais e shoppings, Empresas abertas, BR Properties, Eletrobras, Estatais brasileiras, Energia elétrica, Holdings, Empresas estatais, Serviços, Marfrig, Alimentos processados, Carnes e derivados, Empresas brasileiras, Brasil Telecom, Oi, 3G, Telecomunicações, Telemar, Operadoras de celular, Empresas portuguesas, PETR4, Petrobras, Capitalização da Petrobras, Petróleo, gás e combustíveis, Indústria do petróleo, Santander, Bancos, Empresas espanholas, Suzano, Papel e celulose, Papel e madeira, Usiminas, Siderúrgicas, Siderurgia e metalurgia, Siderurgia, Empresas japonesas, Vale, Mineração