Dólar R$ 3,15 -0,84%
Euro R$ 3,70 -0,15%
SELIC 9,25% ao ano
Ibovespa 0,00% 68.355 pts
Pontos 68.355
Variação 0,00%
Maior Alta 2,08% CCRO3
Maior Baixa 0,00% GOAU4
Última atualização 15/08/2017 - 21:00 FONTE

Mercado em movimento: o que os analistas comentam nesta terça-feira

Confira as alterações nas recomendações dos analistas; comentários de NET, B2W, Lupatech e Cosan

São Paulo – Saiba o que os analistas de mercado comentam na sessão de hoje:

– NET (NETC4)

O BTG Pactual reforçou, em relatório, a atratividade das ações da Net, que estariam sendo negociados com um “grande desconto em relação aos pares”. Os analistas Carlos Sequeira e Antonio Junqueira apostam em um crescimento mais acelerado das vendas. A recomendação para os papéis é de overweight (alocação acima da média). A empresa foi incluída na carteira recomendada do banco.

– B2W (BTOW3)

A equipe de análise do banco Barclays diminuiu, nesta terça-feira, as perspectivas para as ações da B2W. “Estamos reduzindo as estimativas da B2W para refletir as fracas vendas e margens no segundo trimestre de 2010 em particular”, escreveu o analista David Belaunde. O preço-alvo passou de 41 reais para 45 reais. A recomendação foi mantida em equalweight (alocação na média do mercado).

– Lupatech (LUPA3)

A Lupatech assinou um contrato de fornecimento de cabos de ancoragem de plataformas com a Petrobras, no valor aproximado de 140 milhões de reais, com prazo de 18 meses. O contrato abrange o fornecimento de cabos de ancoragem de poliéster para novos projetos de plataformas da Petrobras até 31 de dezembro de 2011.

“O novo contrato é outro sinal do crescente momento dos negócios da Lupatech que está preparando o terreno para um forte crescimento das receitas e lucros nos próximos anos”, disseram os analistas Frank McGann e Conrado Vegner. O preço-alvo para os papéis é de 42 reais e a recomendação é de compra.

  • Cosan (CSAN3)

A empresa anunciou a venda de 25% da Rumo Logística por 400 milhões de reais para os fundos TPG Capital e Gávea Investimentos. A empresa tem um plano de investimentos de 1,2 bilhão de reais. Para o analista Ricardo Corrêa, da Ativa Corretora, a notícia é positiva.  “O viés positivo da notícia se dá porque a conclusão do processo neutraliza os riscos associados ao processo de investimento e crescimento da empresa, viabilizando a agenda de investimentos”, afirma.