Mercado faz apostas para o campeão da Copa do Mundo

Análise do banco suíço UBS vê o Brasil como hexacampeão, enquanto apostas na Sportingbet.com dão o caneco para a Espanha

São Paulo – Um estudo divulgado pelo UBS, maior banco da Suíça, crava o Brasil como o mais provável campeão da Copa do Mundo de 2010, que será realizada na África do Sul. De acordo com o relatório, a chance de que os brasileiros conquistem o hexa é de 22%, contra 18% da Alemanha. A Itália aparece na terceira posição, com 13%. Em um dos maiores sites de apostas esportivas da Europa, o Sportingbet.com, o Brasil aparece apenas em segundo lugar, pagando 6 reais para cada real apostado. O campeão seria a Espanha, com 5 reais para cada um aplicado.

A análise, assinada pelo economista-chefe do banco Andreas Hofert, serve como mais uma pimenta nas apostas em torno dos jogos da Copa do Mundo. No começo deste ano, por exemplo, as casas britânicas davam a Espanha como favorita, e o Brasil aparecia apenas no terceiro lugar. A pior colocada no Sportingbet.com é a Nova Zelândia, cujas apostas renderão mais de 2000 vezes o dinheiro investido, caso o país leve a taça.

O modelo de previsão do banco para o campeonato mundial de futebol se baseia em três pilares básicos: o desempenho passado das equipes, o fato de o time ser ou não o país sede da Copa e, por último, a análise da força dos jogadores nos últimos três meses. O UBS afirma que não se utiliza de análise econômica para apostar no país que vencerá a competição, deixando de lado fatores como o crescimento do PIB e o tamanho da população. Em 2006, a aposta foi na Itália como campeã mundial, e a empresa acertou.

O prognóstico leva em conta o fato de Brasil, Alemanha e Itália terem participado das últimas sete finais de Copa do Mundo. Além disso, são os países que mais participaram da competição até hoje, o que garante muitos pontos positivos em questão de performance anterior para as equipes.

Quanto à sede do campeonato deste ano, a África do Sul, o UBS acredita que o país tem poucas chances de alcançar as semi-finais. Isso porque, apesar de o anfitrião da Copa sempre ter uma certa vantagem sobre os adversário – historicamente, 63% dos donos da casa chegaram às semi-finais da competição -, a atual força dos sulafricanos não é suficiente para bater outras equipes, já tradicionais, que também vêm com muitas chances.

Essa força dos times é medida principalmente através do nível Elo, desenvolvido pelo físico húngaro-americano Arpad Elo para calcular a potência de jogadores de xadrez. Hoje em dia, outros esportes utilizam o método para definir o poder das equipes. Entre eles, está o futebol, no qual não só o número de vitórias, derrotas e empates é levado em conta, mas também as condições adversas pelas quais o time passou – como, por exemplo, derrotar uma equipe bem mais forte que a sua.

A Copa de 2010, aliás, será a competição com a menor média de Elo desde 1994: 1.785. As três equipes com o maior nível são Brasil, Espanha e Holanda. Os espanhóis, favoritos do Sportingbet.com, começarão o torneio com o maior nível de Elo de sua história. Apesar disso, o UBS determinou que a chance de a equipe sagrar-se campeã é de apenas 4%. Um dos principais motivos para esse descrédito seria o passado da Espanha: nas últimas Copas, os espanhóis também chegaram com muita força e muitos apostavam na seleção, mas ela refugou. Com isso, times mais tradicionais e com histórico de aproveitarem melhor suas chances, como o Brasil, a Alemanha e a Itália, saem bem na frente dos outros países participantes.