Dólar R$ 3,15 -1,03%
Euro R$ 3,70 0,06%
SELIC 9,25% ao ano
Ibovespa 1,09% 68.715 pts
Pontos 68.715
Variação 1,09%
Maior Alta 4,27% BBSE3
Maior Baixa -2,04% JBSS3
Última atualização 18/08/2017 - 17:20 FONTE

Investidores americanos voltam ao otimismo

Expectativa de anúncio de ajuda financeira do Fed animou o mercado de ações

São Paulo – Depois de semanas difíceis para o mercado de ações americano, os investidores estão mais otimistas. A pesquisa Sentimento do Investidor, feita pela Associação Americana de Investidores Individuais, indica que depois de o otimismo atingir 22%, o nível mais baixo em anos, ele voltou a subir essa semana chegando a 28,1%.

O aumento de 5,9 pontos percentuais pode ser explicado pela expectativa do anúncio de novas medidas de flexibilização monetária pelo Banco Central americano (Federal Reserve). A expectativa é tanta que superou a divulgação dos resultados decepcionantes da Apple, também essa semana. Isso porque a nova ajuda, esperada para o começo de setembro, elevaria os preços dos ativos, dando novo fôlego para os investidores.

Embora o crescimento do otimismo seja significativo, os resultados da pesquisa mostram que ele já foi muito mais alto. Nota-se pela sua média em longo prazo que é de 39%. O pessimismo também já esteve mais baixo, em 30%. Na última pesquisa, os pessimistas chegaram aos 43,1%, aumento de 1,3 ponto percentual em relação à semana anterior.

Espera-se que para a próxima semana, o sentimento de otimismo continue aumentando. Principalmente depois do anúncio de Mario Draghi ontem. O presidente do Banco Europeu acalmou investidores no mundo todo ao anunciar que está preparado pra salvar o euro. “Dentro do nosso mandato, o BCE está pronto para fazer o que for preciso para preservar o euro. E acredite em mim, será suficiente”, afirmou Draghi em conferência de investimento antes da Olimpíada em Londres.

Ontem, as bolsas na Europa, nos EUA e o no Brasil fecharam em alta. Hoje, os principais índices acionários da Europa ampliavam os ganhos depois que a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, François Hollande, terem dito que também farão o necessário para proteger a zona do euro.