Bolsa opera no azul com ganhos da Petrobras

Bovespa operava em alta, puxada pelas ações da Petrobras

São Paulo – A bolsa paulista operava com seu principal índice em alta nesta quarta-feira, com as ações da Petrobras puxando os ganhos, em sessão marcada por recuperação nos preços do petróleo .

Às 11:34, o Ibovespa subia 0,8 por cento, a 58.849 pontos. O volume financeiro era de 1,35 bilhão de reais.

Apesar da recuperação dos preços do petróleo na sessão, operadores ainda esperavam o desfecho da reunião da Opep.

“As incertezas envolvendo o encontro são muitas, mas o fato é que a expectativa de acordo para congelamento da produção está cada vez mais distante, tendo em vista a falta de consenso entre os membros e a forte rivalidade entre Arábia Saudita e o Irã”, escreveram analistas da Socopa em nota a clientes.

Destaques 

– PETROBRAS PN subia 1,68 por cento e PETROBRAS ON ganhava 1,57 por cento, em sessão de alta nos preços do petróleo. No radar dos investidores estava ainda a notícia de que a mexicana Alpek obteve prorrogação de 30 dias em negociação exclusiva para a compra de unidades petroquímicas da Petrobras em Pernambuco.

– VALE PNA avançava 1,97 por cento e VALE ON subia 1,7 por cento. A mineradora prevê registrar Ebitda ajustado entre 4,5 bilhões e 5,4 bilhões de dólares no segundo semestre, acima dos 4,4 bilhões de dólares na primeira metade do ano, segundo apresentação publicada pela empresa nesta quarta-feira.

– BRASKEM avançava 8,2 por cento, liderando os ganhos no Ibovespa. A empresa informou na véspera que o conselho de administração aprovou pagamento de 1 bilhão de reais em dividendos intermediários. Além disso, a Câmara de Comércio Exterior ampliou a aplicação do direito antidumping definitivo, por até cinco anos, às importações de resina de policloreto de vinila obtido por processo de suspensão (PVC-S) dos Estados Unidos e do México.

– SUZANO PAPEL E CELULOSE valorizava-se quase 2 por cento, após a empresa anunciar alta de preço da celulose fibra curta para a China, segundo operadores.

*Atualizada às 11h53

– AMBEV ganhava 0,51 por cento após os acionistas da SABMiller aprovarem a oferta de aquisição da empresa feita pela Anheuser-Busch InBev por mais de 100 bilhões de dólares, abrindo caminho para reforçar o posto de liderança do grupo que controla a Ambev entre os fabricantes globais de cerveja.

– PDG REALTY, que não está no Ibovespa, recuava quase 6 por cento, após o jornal O Estado de S.Paulo noticiar que a empresa deve pedir recuperação judicial até o fim do ano.