Ibovespa fecha estável, com alta de ações de mineração

A Bovespa fechou com o seu principal índice estável, após sessão sem viés definido

São Paulo – A Bovespa fechou com o seu principal índice em leve alta nesta quinta-feira, após sessão sem viés definido, com o forte avanço das ações de mineradoras e siderúrgicas contrabalançando a queda dos papéis de bancos.

O Ibovespa subiu 0,11 por cento, a 56.641 pontos. O volume financeiro somou 6,6 bilhões de reais.

Investidores também analisaram a decisão do Banco Central na véspera, que manteve a Selic em 14,25 por cento, com o comunicado do Copom indicando que não há espaço para corte da taxa no curto prazo.

Ainda sob os holofotes está o começo da temporada de balanços no Brasil, com Localiza abrindo a safra de resultados das companhias listadas no Ibovespa após o fechamento do pregão.

No exterior, Wall Street fechou em baixa e os preços do petróleo recuaram.

DESTAQUES

– VALE fechou com as preferenciais em alta de 3,01 por cento e as ordinárias com ganho de 5,39 por cento, apoiada pelo avanço do preço do minério de ferro na China . A mineradora divulgou nesta manhã queda de 2,8 por cento na produção de minério no segundo semestre, que refletiu a redução das operações de menor margem para se adequar aos baixos preços da commodity.

– USIMINAS saltou 10,04 por cento e capitaneou os ganhos do setor siderúrgico e do Ibovespa, também beneficado pela alta dos preços do aço na China.

– ITAÚ UNIBANCO e BRADESCO fecharam em queda de 1,34 e 0,76 por cento, respectivamente, desacelerando as perdas em relação às mínimas da sessão, quando foram pressionadas por informação do blog Brazil Journal de que cresceram nas últimas horas as chances de a Odebrecht pedir recuperação judicial. A empresa negou veementemente a informação. Pela manhã, Itaú bateu máxima intradia desde setembro de 2014 e Bradesco máxima intradia histórica. BANCO DO BRASIL também sofreu e fechou em baixa de 1,87 por cento, após seis altas seguidas, enquanto SANTANDER BRASIL cedeu 0,71 por cento.

– PETROBRAS fechou com as preferenciais em alta de 0,25 por cento e as ordinárias com ganho de 1,1 por cento, a despeito da fraqueza do petróleo, conforme segue a visão mais favorável para a empresa. A Petrobras informou nesta quinta-feira o resultado de recompra de títulos efetuada através da subsidiária Petrobras Global Finance.

– CYRELA encerrou com acréscimo de 0,64 por cento, após dados operacionais do segundo trimestre mostrarem queda anual de 43,9 por cento no volume de lançamentos e de 31 por cento nas vendas líquidas. O Credit Suisse considerou os dados neutros.

– LOCALIZA perdeu 0,3 por cento, antes da divulgacação do balanço prevista para depois do fechamento. A equipe do Itaú BBA, contudo, afirmou que aguarda números sólidos da empresa no segundo trimestre, que sinalizem resiliência da empresa e sua capacidade de reinventar seu modelo de negócio em um ambiente macroeconômico adverso.

– NATURA caiu 2,06 por cento, no segundo dia de perdas, embora ainda acumule valorização de 8 por cento no acumulado do mês.

– JHSF, que não está no Ibovespa, disparou 28,95 por cento, após o jornal O Estado de S.Paulo divulgar que a Blackstone iniciou conversas com construtora e incorporadora brasileira para compra de uma fatia de 50 por cento do portfólio de shopping centers da empresa.

Texto atualizado às 18h11