Ibovespa anula ganhos com bancos após alerta do Itaú

O principal indicador da bolsa brasileira caía 0,7 por cento, para 61.547,00 pontos, às 13:41, derrubado principalmente pelos papéis do Itaú, seguidos pelos da Vale SA

São Paulo – O Ibovespa caminha na contramão das bolsas americanas e do fechamento das europeias, após o Itaú Unibanco Holding SA ter dito que espera que as provisões para devedores duvidosos cresçam no segundo trimestre.

O principal indicador da bolsa brasileira caía 0,7 por cento, para 61.547,00 pontos, às 13:41, derrubado principalmente pelos papéis do Itaú, seguidos pelos da Vale SA.

O Itaú estima que as despesas com provisões para débitos duvidosos devem ficar entre R$ 6 bilhões e R$ 6,4 bilhões no segundo trimestre, segundo apresentação do banco em teleconferência com analistas. Para o terceiro trimestre, a projeção do Itaú é que as provisões fiquem entre R$ 6,5 bilhões e R$ 7,1 bilhões, de acordo com a apresentação.

A taxa de inadimplência, dado o atual cenário de taxa básicas de juros no Brasil é um risco para os bancos, disseram analistas da Planner Corretora em um relatório a clientes.

As ações preferenciais do Itaú caíam 5,5 por cento, para R$ 29,72, e lideram as perdas da carteira teórica do indicador. As ações da Fibria Celulose SA e da Itaúsa Investimentos Itaú SA, vêm em seguida.

A Fibria Celulose SA vai levantar R$ 1,44 bilhão com uma oferta global de ações, mais do que o planejado inicialmente, como parte da estratégia de reduzir seu endividamento. A empresa fechou a venda de 91,2 milhões de novas ações ordinárias, incluindo o lote suplementar, a R$ 15,83 cada, segundo comunicado enviado ontem à Comissão de Valores Mobiliários. O valor representa um desconto de 1,1 por cento sobre o fechamento de ontem dos papéis.