Exigência para operar com títulos da Itália pode subir mais, diz Goldman Sachs

Clearing londrina aumentou nesta manhã em 5% a margem para operações com papéis do país

São Paulo – A exigência de margem para operar com títulos italianos pode aumentar mais uma vez, analisa o banco Goldman Sachs em um relatório publicado nesta quarta-feira.

Nesta manhã, a London Clearing House (LCH.Clearnet) anunciou o aumento de 5% na exigência inicial de margem sobre os derivativos colaterais lastreados em títulos italianos.

A notícia aumentou o pessimismo dos mercados e afetou o desempenho das bolsas europeias. Em Milão, o índice MIB da bolsa da Itália caiu 3,78%.

“Caso os títulos italianos negociem acima de 450 pontos-base em relação aos papéis soberanos AAA da zona do euro durante um período, a margem inicial poderá ser aumentada em mais 10%”, explica Francesco Garzarelli, que assina a análise.