Dólar rompe piso de R$ 3,00 e cai cerca de 1% ante real

Às 13h55, a moeda norte-americana tinha queda de 0,99 por cento, a 2,9786 reais na venda, após cair 0,63 por cento na sessão anterior

São Paulo – O dólar passou a cair perto de 1 por cento na tarde desta quinta-feira, após romper a barreira dos 3 reais, revertendo a alta vista mais cedo que era influenciada pela divulgação do balanço da Petrobras.

Às 13h55, a moeda norte-americana tinha queda de 0,99 por cento, a 2,9786 reais na venda, após cair 0,63 por cento na sessão anterior.

Na máxima desta sessão, o dólar foi negociado a 3,0352 reais, alta de 0,89 por cento em relação ao fechamento da véspera, reagindo à divulgação do balanço da Petrobras.

Na noite de quarta-feira, a petroleira estatal divulgou o balanço auditado de 2014, mostrando prejuízo de 21,6 bilhões de reais, afetado por perdas de 6,2 bilhões de reais por corrupção e queda em mais de 44 bilhões de reais no valor de seus ativos.

Analistas destacaram negativamente dados relacionados ao endividamento da estatal e perspectivas quanto ao fluxo de caixa, bem como o anúncio de não pagamento de dividendos, embora tenham considerado que a divulgação dos resultados auditados traz um “alívio”.

“Não dá para achar que está tudo resolvido só porque divulgou o balanço. Isso não está abrindo uma janela de oportunidade para emissão”, disse o estrategista de renda fixa da Coinvalores, Paulo Celso Nepomuceno.

Além do balanço da Petrobras, o mercado vem sendo guiado pela barreira técnica dos 3 reais que vinha atraindo os investidores.

“O mercado vem testando romper os 3 reais. Nos últimos dias estamos muito no técnico, às vezes até mais do que no noticiário”, disse o economista sênior do Besi Brasil, Flavio Serrano.

Na véspera, o dólar fechou a 3,0083 reais na venda, depois de ter caído a 2,9969 reais na mínima da sessão.

Nesta manhã, o BC brasileiro vendeu a oferta integral de até 10,6 mil swaps para rolagem dos contratos que vencem em 4 de maio, equivalentes a 10,115 bilhões de dólares. Até o momento, a autoridade monetária já rolou cerca de 76 por cento do lote total.