Com movimento fraco, bolsas asiáticas fecham em direções opostas

No acumulado do ano, o destaque negativo ficou para as bolsas chinesas, que tiveram perdas superiores a 12%

São Paulo – As bolsas asiáticas fecharam em direções opostas nesta sexta-feira, seguindo um fraco movimentos em Wall Street. No acumulado do ano, o destaque negativo ficou para as bolsas chinesas, que tiveram perdas superiores a 12%.

O movimento fraco nas bolsas em geral, principalmente em Wall Street, contribuíram para um pregão apático, com os investidores optando por tomarem posições apenas na próxima semana.

No último pregão do ano, a Bolsa de Xangai fechou em alta de 0,24%, aos 3.103,64 pontos, enquanto em Shenzhen, o principal índice terminou com leve ganho de 0,15%, aos 1.969,11 pontos. No entanto, as duas bolsas terminaram o ano de 2016 com perdas acumuladas de 12,31% e 14,72%, respectivamente.

De acordo com analistas, a negociação neste ano não teve a volatilidade que ocorreu no ano passado, quando foi aniquilado 43% do índice de referência da Bolsa de Xangai.

No entanto, os empréstimos de margem, ou o dinheiro emprestado para investir em ações, e os volumes de negociação permaneceram baixos, pois os investidores agiram com cautela diante das lembranças do ano passado, pontuam analistas.

Após uma queda inicial, quando o índice de referência de Xangai caiu quase 23% em janeiro, o índice subiu devido em parte ao apoio do governo, mas não conseguiu recuperar todas as perdas no início do ano.

O índice Hang Seng de Hong Kong avançou 0,96%, subindo pela terceira sessão consecutiva, sustentado pelas ações de financeiras, que aumentaram quase 2%. O índice terminou o ano com avanço de 0,4%.

Enquanto isso, em Taiwan, o índice Taiex subiu 1,1% e encerrou 2016 em alta de 115. Já o índice Kospi, da Coreia do Sul, acelerou 0,10%.

E na Oceania, o índice S&P ASX 200 fechou em queda de 0,58% pressionado pelo setor financeiro, com o Macquarie e o AMP em queda de 1%. No ano, o índice teve ganho de 7%.