CCR cai 3,5% com notícia sobre contrato da Nova Dutra no radar

Segundo a Folha, a ANTT arquivou o processo que analisava aditivos ao contrato da CCR Nova Dutra

São Paulo – As ações da CCR recuavam 3,5 por cento nesta quarta-feira, registrando o pior desempenho do Ibovespa, tendo no radar desdobramentos do processo de renovação do contrato da CCR Nova Dutra.

Por volta das 16:40, os papéis ordinários da operadora de concessões de infraestrutura caíam 3,5 por cento, a 15,86 reais por ação, enquanto o Ibovespa subia 0,25 por cento.

De acordo com reportagem do jornal Folha de S.Paulo, publicada na edição nesta quarta-feira, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) arquivou no fim de 2016 o processo que analisava aditivos ao contrato da CCR Nova Dutra, o que permitiria à empresa fazer obras para as quais não havia mais recursos previstos em contrato.

A decisão da ANTT, de acordo com a reportagem, teria sido motivada por divergências entre técnicos da agência e do Tribunal de Contas da União.

Em relatório, analistas do UBS ressaltaram que, embora não haja comunicado oficial por parte do governo, a notícia é “marginalmente negativa”, uma vez que muitos investidores já consideravam esses aditivos na análise da empresa.

“No último evento público da ANTT, em 16 de dezembro, a agência informou que o processo da Nova Dutra estava em modo de espera até que houvesse definição nas investigações do Tribunal de Contas da União sobre o Concer (Companhia de Concessão Rodoviária Juiz de Fora-Rio de Janeiro)”, citaram os analistas Rogerio Araujo e Lucas Barbosa, que assinam o relatório do UBS.