Bovespa sobe 0,5% com destaque para fortes ganhos da JBS

Com esta sessão, o Ibovespa acumula alta de 4,58% em quatro pregões, sustentado-se nos melhores níveis desde o acirramento da crise política

São Paulo – O principal índice da bolsa paulista subiu nesta quinta-feira, engatando o quarto pregão seguido de ganhos, com destaque para a forte alta das ações da JBS depois que a processadora de carnes recebeu autorização da Justiça para vender ativos no Mercosul.

O Ibovespa fechou em alta de 0,53 por cento, a 65.178 pontos. O giro financeiro somou 7,37 bilhões de reais.

Com o desempenho desta sessão, o Ibovespa acumula alta de 4,58 por cento em quatro pregões, sustentado-se nos melhores níveis desde o acirramento da crise política, em meados de maio, após a divulgação de áudio de conversa entre o presidente Michel Temer e um dos sócios da JBS.

No entanto, agentes de mercado ainda consideram cedo para afirmar que o índice está perto de recuperar o patamar pré-crise, em torno dos 67 mil e 68 mil pontos.

“Até o começo de agosto, não tendo nenhuma surpresa com relação a novas delações, o mercado tende a ficar um pouco mais positivo, mas ainda é cedo para voltar a operar naqueles níveis de 68 mil pontos”, disse o gestor de recursos da Mapfre Investimentos Thiago Souza.

O gestor destacou que o noticiário político dos últimos dias, com aprovação da reforma trabalhista pelo Senado e a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, favoreceu a recuperação expressiva do mercado acionário.

Mas os recessos do Congresso, previsto para iniciar na próxima semana, e do Judiciário devem deixar o noticiário político mais tranquilo, evitando grandes movimentos do índice.

Depois do fechamento do mercado nesta quinta-feira, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara rejeitou parecer do deputado Sérgio Zveiter (PMDB-RJ) recomendando que a Câmara autorize o Supremo Tribunal Federal (STF) a julgar o presidente Michel Temer por corrupção passiva.

Destaques

– JBS ON avançou 9,39 por cento, liderando os ganhos do Ibovespa, após obter liminar liberando a venda das operações de carne bovina na Argentina, Paraguai e Uruguai para o Grupo MINERVA, que não faz parte do Ibovespa e recuou 0,71 por cento.

Também no radar estava a notícia publicada pela Reuters de que a JBS e seus principais credores estão perto de um acordo para o refinanciamento de dívidas da processadora de carnes no valor cerca de 18 bilhões de reais que vencem dentro de um ano.

O movimento de alta da JBS também ganhou apoio no acordo da J&F Investimentos, controladora da JBS, para vender sua participação na ALPARGATAS por 3,5 bilhões de reais para a Cambuhy Investimentos,ITAÚSA e o fundo Brasil Warrant.

– ALPARGATAS PN, que não faz parte do Ibovespa, ganhou 4,93 por cento, enquanto as ações da ITAÚSA subiram 0,33 por cento.

– BRADESCO PN subiu 0,88 por cento. O banco lançou nesta quinta-feira um plano de desligamento voluntário para funcionários da instituição. ITAÚ UNIBANCO PN teve alta modesta de 0,27 por cento.

– PETROBRAS PN recuou 0,54 por cento e PETROBRAS ON teve baixa de 0,22 por cento, em dia de ganhos para os preços do petróleo no mercado internacional, mas com as altas da véspera para a petroleira abrindo espaço para algum ajuste. Na quarta-feira, as ações PN subiram quase 5 por cento, enquanto as ON avançaram perto de 4 por cento.

– VALE PNA caiu 2,35 por cento e VALE ON teve perda de 2,41 por cento, pior desempenho do Ibovespa, em sessão de estabilidade para os contratos futuros do minério de ferro.

– CSN ON recuou 2,4 por cento, entre os destaques negativos do Ibovespa, após subir nos quatro pregões anteriores, período em que acumulou ganho de pouco mais de 12 por cento. As demais siderúrgicas também operaram em queda, com GERDAU PN recuando 0,91 por cento e USIMINAS PNA em baixa de 0,99 por cento.