Bolsas europeias recuam em meio a cautela com Fed

Londres – Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em leve queda, refletindo a cautela dos investidores com a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) anunciada após o fechamento das bolsas. A cautela também é motivada pela incerteza em relação à aprovação de um novo plano de austeridade fiscal na Grécia.

Ontem, o governo do primeiro-ministro grego, George Papandreou, conseguiu passar por uma moção de confiança no Parlamento. No entanto, ainda precisará convencer os parlamentares a aceitarem mais um plano de corte nos gastos públicos para que o país receba auxílio financeiro.

Para Cameron Peacock, analista de mercado do IG Markets, os mercados de ações terão dificuldade para avançar no curto prazo porque algumas pessoas veem a situação da Grécia como um reflexo do “fato inevitável de que a zona do euro está quebrada e não tem conserto”.

O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 0,56%, para 268,07 pontos. Na Bolsa de Londres, o FTSE-100 recuou 0,04%, para 5.772,99 pontos. Em Paris, o CAC 40 perdeu 0,15%, para 3.871,37 pontos. Na Bolsa de Frankfurt, o Xetra DAX fechou em baixa de 0,10%, a 7.278,19 pontos.

Em Milão, o índice FTSE MIB caiu 0,44%, para 20.014,11 pontos. O IBEX 35, da Bolsa de Madri, recuou 0,06%, para 10.226,20 pontos. Em Lisboa, o PSI 20 teve queda de 0,72%, para 7.147,52 pontos. O ASE, da Bolsa de Atenas, caiu 0,32%, para 1.271,43 pontos.

Entre os destaques da sessão, as ações da Philips Electronics recuaram 8,8% depois de a companhia divulgar uma demanda menor que a esperada em duas de suas unidades. A Philips também disse que anunciará em breve um plano para reduzir gastos. O Banif SGPS perdeu 3,9% em Lisboa depois de seu rating (nota) de dívida e depósitos ter sido rebaixado de Baa3/P-3 para Ba2/NP pela Moody’s.

Os papéis da varejista sueca Hennes & Mauritz perderam 2,3% depois de a companhia anunciar um aumento de 2,2% nas vendas e um declínio de 18% no lucro líquido do segundo trimestre na comparação com igual período do ano passado.

Na França, as ações do Carrefour fecharam em queda de 0,5% depois de a Moody’s ter rebaixado ontem a perspectiva de rating da companhia para negativa, de estável. Na Alemanha, a Merck perdeu 2,8% depois de anunciar que não vai mais tentar a aprovação mundial do medicamento Cladribine, utilizado no tratamento de esclerose. As informações são da Dow Jones.