Bolsas europeias recuam com dado industrial da Alemanha

A aversão ao risco, observada em outras praças, contagiou o setor bancário de Lisboa e as ações da Portugal Telecom, que fecharam com recuos acentuados

São Paulo – Os mercados de ações da Europa fecharam em queda nesta segunda-feira, 07, pressionados pela decepção com a produção industrial da Alemanha, que desencadeou preocupações sobre um enfraquecimento na principal economia da zona do euro.

A aversão ao risco, observada em outras praças, contagiou o setor bancário de Lisboa e as ações da Portugal Telecom, que fecharam com recuos acentuados em uma dia de alta volatilidade.

O índice pan-europeu Stoxx Europe 600 encerrou o pregão em queda de 0,91%, aos 344,80 pontos.

Segundo dados do Ministério da Economia, a produção industrial da Alemanha caiu 1,8% em maio na comparação com abril, marcando a maior queda mensal desde abril de 2012.

O resultado frustrou as expectativas de analistas consultados pela Dow Jones Newswires, que esperavam estabilidade na produção. A atividade na construção liderou a contração, com queda de 4,9%.

O dado industrial se soma a outros indicadores recentes – como as vendas no varejo e encomendas à indústria – que já demonstravam atividade mais fraca que o esperado.

Com isso, o índice Dax, de Frankfurt perdeu 1,03%, aos 9.906,07 pontos, e o índice CAC-40, de Paris, cedeu 1,41%, aos 4.405,76 pontos.

Em Madri, o índice IBEX-35 teve queda de 1,10%, aos 10.888,50 pontos.

Na capital britânica, o índice FTSE-100 caiu 0,62%, aos 6.823,51 pontos, com baixa de 1,25% nos papéis da SABMiller, após a empresa afirmar que planeja vender sua participação de 40% na Tsogo Sun Holdings por cerca de US$ 1,09 bilhão.

A tendência de baixa também foi observada em Lisboa, com fortes perdas no setor financeiro.

Entre os destaques, as ações do Banco Espírito Santo (BES) encerraram a sessão em baixa de 5,19% numa sessão marcada pela forte volatilidade.

No começo do dia, os papéis do BES se valorizaram quase 10%, em reação à escolha dos nomes de Vítor Bento e João Moreira Rato para os cargos de CEO e CFO do banco, respectivamente.

A troca na direção da casa acontece após o anúncio de problemas financeiros no grupo que controla o banco, especialmente nas atividades não financeiras.

As ações da Portugal Telecom continuaram a perder terreno e encerraram com queda de 3,09% diante críticas contra a administração da instituição após o investimento feito na Rioforte, uma empresa do ramo não financeiro do Grupo Espírito Santo.

Na semana passada, a empresa, que está em processo de fusão com a brasileira Oi, atingiu a mínima histórica de 2,206 euros, após a manifestação pública de desconforto da companhia do Brasil com a aplicação na Rioforte. O índice PSI-20, da bolsa de Lisboa, perdeu 1,72%, aos 6.714,35 pontos.

Ainda no noticiário corporativo, os papéis da Telecom Itália cederam 1,27%, sob pressão de informações publicadas na mídia internacional na semana passada que sinalizavam que o governo italiano estaria estudando medidas que dificultariam uma eventual venda de ativos extraterritoriais, como a TIM Brasil.

De acordo com participantes do mercado, os investidores parecem não ter dado atenção para as falas do presidente do Conselho do Telecom Italia, Giuseppe Recchi, de que essa é uma “hipótese surreal”, como disse ao site da agência de notícias italiana Ansa.

Para Recchi, esta ideia é contrária aos termos de relações entre os países nos mercados internacionais e a possibilidade não tem fundamento no quadro regulamentar em vigor.

O índice FTSE Mib, de Milão, encerrou com baixa de 1,33%, aos 21.273,22 pontos, na mínima do dia.

Com informações da Dow Jones.