Bolsas da América Latina fecham em baixa

Na Argentina, o volume financeiro foi de 45,9 milhões de pesos (US$ 10,3 milhões)

O Índice de Preços e Cotações (IPC) da Bolsa Mexicana de Valores (BMV) fechou nesta sexta-feira em queda de 0,72%, aos 38.888,79 pontos.

O giro financeiro foi de 8,346 bilhões de pesos (US$ 618 milhões).

O índice IPSA da Bolsa de Valores de Santiago do Chile fechou nesta sexta-feira em baixa de 0,21%, aos 4.476,30 pontos. Já o índice geral da bolsa chilena, o IGPA, fechou em baixa de 0,13%, aos 21.522,76 pontos. O giro financeiro foi de 60,656 bilhões de pesos chilenos (US$ 71,78 milhões), em 7.745 operações.

O índice Merval da Bolsa de Comércio de Buenos Aires fechou nesta sexta-feira em baixa de 0,1%, aos 2.304,61 pontos.

Já o Índice Geral da Bolsa subiu 0,38% e ficou nos 138.485,91 pontos, enquanto o Merval 25 caiu 0,13%, encerrando aos 2.353,98.

O volume financeiro foi de 45,9 milhões de pesos (US$ 10,3 milhões).

As maiores baixas foram dos papéis da Edenor (-5,06%), Petrobras Energia (-1,78%) e Pampa Energia (-1,47%), enquanto as altas foram lideradas pela Molinos (+5,25%), Banco Macro (+2,63%) e Tenaris (+1,62%).

No mercado de câmbio, o dólar fechou estável, cotado a 4,46 pesos para a venda.

O Índice Geral da Bolsa da Colômbia (IGBC) fechou nesta sexta-feira em baixa de 0,23%, aos 15.017,55 pontos. O giro financeiro foi de 183,151 bilhões de pesos (US$ 103,76 milhões), em 3.289 operações.