Dólar R$ 3,15 -1,03%
Euro R$ 3,70 0,06%
SELIC 9,25% ao ano
Ibovespa 1,09% 68.715 pts
Pontos 68.715
Variação 1,09%
Maior Alta 4,27% BBSE3
Maior Baixa -2,04% JBSS3
Última atualização 18/08/2017 - 17:20 FONTE

As empresas latinas que mais perderam valor neste ano

Levantamento da Economatica mostra as maiores perdas de valor de mercado na região; brasileiras ocupam as três primeiras posições

São Paulo — Entre as companhias da América Latina com capital aberto, a Petrobras foi a que mais perdeu valor de mercado no ano. Desde o começo de 2017, a brasileira se tornou 6,4 bilhões de dólares menos valiosa. Em termos simples, o valor de mercado de uma empresa é obtido ao multiplicar o número de ações pelo valor dos papéis.

As mudanças na gestão da petroleira, implementadas desde o ano passado, continuam agradando os investidores, mas não foram suficientes para segurar o preço dos papéis. As ações ordinárias da Petrobras acumulam perdas de mais de 16% no ano, enquanto as preferenciais caíram cerca de 7%.

O Santander Brasil também se tornou menos valioso neste ano. No total, segundo os números da Economatica, o banco perdeu mais de 4 bilhões de dólares. No final de março, as ações da empresa desabaram na B3 após o anúncio de uma oferta pública secundária de units que pertenciam ao grupo de investimento Qatar Holding.

Abaixo, você encontra as 15 latinas que mais perderam valor de mercado em 2017. Os dados são de um levantamento da Economatica realizado a pedido de EXAME.com.

Empresa País Setor Quanto perdeu em valor de mercado em 2017
Petrobras Brasil Petróleo e Gás 6,48 bilhões de dólares
Santander Brasil Bancos 4,09 bilhões de dólares
Eletrobras Brasil Energia Elétrica 2,75 bilhões de dólares
Tenaris Argentina Siderurgia e metalurgia 1,69 bilhões de dólares
BRF Brasil Alimentos 1,53 bilhões de dólares
Sid Nacional Brasil Siderurgia e metalurgia 1,43 bilhões de dólares
Klabin Brasil Papel e Celulose 969 milhões de dólares
JBS Brasil Alimentos 692 milhões de dólares
Corficol C.F. Colômbia Finanças e Seguros 518 milhões de dólares
Fibria Brasil Papel e Celulose 514 milhões de dólares
Simec Grupo México Siderurgia e metalurgia 500 milhões de dólares
Credicorp Peru Outros 492 milhões de dólares
Compañia General de Electricidad Chile Energia Elétrica 443 milhões de dólares
Grana Y Montero Peru Construção 395 milhões de dólares
Industrias Ch México Siderurgia e metalurgia 384 milhões de dólares