Dólar R$ 3,32 0,51%
Euro R$ 3,76 0,11%
SELIC 10,25% ao ano
Ibovespa -0,82% 61.675 pts
Pontos 61.675
Variação -0,82%
Maior Alta 5,67% CSNA3
Maior Baixa -3,90% ESTC3
Última atualização 27/06/2017 - 17:21 FONTE

As ações que mais caíram e subiram em 2016

Ibovespa terminou dezembro em queda de 2,7%, mas acumulou ganhos de quase 39% no ano

São Paulo — O Ibovespa encerrou 2016 com ganhos acumulados de quase 39%, depois de três anos consecutivos no vermelho. Na sessão desta quinta-feira (29), a última do ano, o principal índice fechou em alta de 0,75%. Em dezembro, a bolsa brasileira registrou queda de 2,7%.

Neste ano, as ações brasileiras se beneficiaram, sobretudo, do aumento dos preços das commodities. Também pesou a favor do mercado as mudanças no cenário político e a redução do clima de incerteza em relação à economia do país.

Quem brilhou em 2016

Positivo

(Thinkstock)

A maior parte dos papéis que compõem o Ibovespa fechou o ano com ganhos. No período, quem registrou a maior alta foi a Bradespar, que viu seus papéis valorizarem quase 200%.

O grupo, que tem como maior ativo uma participação na Vale, foi beneficiada pela alta das commodities metálicas. A subida dos preços também impulsionou os papéis da Gerdau, da CSN, da Usiminas e da própria Vale.

Empresa Ativo Variação em 2016 Preço
Bradespar BRAP4 199,92% R$ 15,18
Metalúrgica Gerdau GOAU4 189,16% R$ 4,77
CSN CSNA3 171,25% R$ 10,82
Usiminas USIM5 164,52% R$ 4,07
Gerdau GGBR4 133,32% R$ 10,77
Vale VALE5 130,69% R$ 23,80
Petrobras PETR4 121,94% R$ 14,78
Banco do Brasil BBAS3 98,49% R$ 27,69
Vale VALE3 98,24% R$ 26,68
Petrobras PETR3 97,67% R$ 16,98

 

Quem desapontou em 2016

Negativo

Apenas 9 das 58 ações que compõem o Ibovespa fecharam o ano no vermelho. De todos os papéis, os ordinários da Embraer tiveram o maior tombo no período. Desde janeiro, as ações desvalorizaram cerca de 47%.

Um dos fatores que explica o recuo das ações da companhia é a baixa do dólar, que fechou o ano em queda de 17,69%. Como a maior parte das receitas da Embraer é dolarizada, a empresa sofre toda vez em que o real se valoriza.

O dólar desvalorizado também impactou o desempenho de outras exportadoras, como Fibria, Klabin e Suzano.

Empresa Ativo Variação em 2016 Preço
Embraer EMBR3 -46,72% R$ 15,69
Fibria FIBR3 -37,46% R$ 31,65
Klabin KLBN11 -22,79% R$ 17,43
Suzano SUZB -22,37% R$ 13,77
BRF BRFS3 -11,41% R$ 47,66
Ambev ABEV3 -4,77% R$ 16,23
JBS JBSS3 -3,36% R$ 11,48
Rumo RUMO3 -1,60% R$ 6,15
Natura NATU3 -0,32% R$ 23,00