Dólar R$ 3,15 -1,03%
Euro R$ 3,70 0,06%
SELIC 9,25% ao ano
Ibovespa 1,09% 68.715 pts
Pontos 68.715
Variação 1,09%
Maior Alta 4,27% BBSE3
Maior Baixa -2,04% JBSS3
Última atualização 18/08/2017 - 17:20 FONTE

Ações de construtoras tombam após BofA rebaixar recomendação

Companhias figuraram entre as maiores baixas do Ibovespa neste pregão

São Paulo – As ações do setor de construção e incorporação figuraram nesta terça-feira (5) entre as maiores baixas do Ibovespa, principal índice de ações brasileiro, após o Bank of America Merrill Lynch rebaixar a recomendação das companhias de overweight (alocação acima da média do mercado) para equalweight (desempenho igual à média do mercado).

Em relatório obtido pela Bloomberg, os analistas do BofA, incluindo Renato Onishi, consideraram em sua análise o temor de que os avanços na taxa básica de juros (Selic) deverão impactar os próximos resultados das empresas do setor. “A confiança no fim do ciclo de aperto monetário até julho diminuiu” depois do tom mais duro do último relatório trimestral de inflação do BC.

O Índice do Setor Imobiliário (IMOB) foi o que registrou a maior perda da sessão de hoje, chegando a recuar 1,88%, aos 886 pontos na mínima do dia, ao mesmo tempo em que o Ibovespa teve queda de 1,34% em seu pior momento, aos 63.030 pontos.

A construtora e incorporadora MRV Engenharia & Participações (MRVE3) foi retirada da carteira recomendada do BofA. Os papéis da companhia chegaram a cair 3,71%, negociados a 12,96 reais na mínima do dia, registrando uma das piores performances do Ibovespa.

Junto com a MRV, os papéis da Rossi Residencial (RSID3) também sofreram forte perda: recuaram 4,25%, para 12,60 reais na mínima do dia. Na mesma tendência, Brookfield (BISA3), Cyrela Realty (CYRE3) e Gafisa (GFSA3) tiveram queda de 3,14%, 2,73% e 1,87%, respectivamente, em seu pior momento.