Dólar R$ 3,15 -1,03%
Euro R$ 3,70 -0,03%
SELIC 9,25% ao ano
Ibovespa 1,09% 68.715 pts
Pontos 68.715
Variação 1,09%
Maior Alta 4,27% BBSE3
Maior Baixa -2,04% JBSS3
Última atualização 18/08/2017 - 17:20 FONTE

Ações da Valid estão “bem posicionadas”, avalia Banco Fator

Bons fundamentos e expectativa de sucesso com o negócio de certificação digital devem alavancar os papéis da empresa nos próximos anos

São Paulo – Após incorporar novas premissas macroeconômicas, os resultados apresentados no primeiro trimestre de 2011 e o novo plano de investimentos anunciado pela Valid (VLID3), fabricante de cartões de crédito e carteiras de habilitação, entre outros produtos, o Banco Fator elevou o preço-alvo para as ações da companhia e reafirmou a recomendação de compra.

Em relatório, os analistas Jacqueline Lison e Mateus Renault revisaram o preço-alvo de 26 para 27 reais até o final de 2011. O valor representa um potencial de alta de 33,26% frente à cotação de 20,26 reais vista no encerramento do último pregão. No acumulado do ano, os papéis ordinários da Valid acumulam uma expansão de 11,94%.

Em sua análise, o Banco Fator destaca que a Valid apresentou seus dados no primeiro trimestre por meio de uma nova divisão de estrutura, agora focada no cliente e não mais no produto. As novas áreas são: sistemas de identificação, meios de pagamentos e telecomunicações.

Os analistas ressaltam que adaptaram esta nova estrutura em suas avaliações. Contudo, a equipe de pesquisa do Banco Fator não considerou os resultados sobre certificação digital, que devem começar a gerar receita somente no primeiro trimestre de 2012.

Jacqueline e Renault acreditam que a Valid “está bem posicionada no mercado com potencial de alta expansão, devendo apresentar crescimento durante os próximos anos”, enfatizam.

A projeção é que a receita líquida tenha uma expansão de 11,9% e 9,4% em 2011 e 2012, respectivamente. A margem Ebitda deverá atingir 22,7% e 23,5%. Já os investimentos da companhia deverão contabilizar 68 milhões de reais (incluindo as despesas de 30 milhões de reais com a implementação dos negócios de certificação digital).