10 novidades sobre o mercado que você precisa saber

Santander deve entregar proposta final pelo Citi Brasil até o fim do mês; Itaú e Safra demonstraram interesse na compra

São Paulo – Confira as principais novidades do mercado desta quarta-feira (06):

Mercado não quer repetição de meta em 2017

A demora na definição da meta fiscal de 2017 e a possibilidade de repetição do rombo de R$ 170,5 bilhões previstos para este ano estão deixando investidores insatisfeitos com o governo interino de Michel Temer.

Segundo o Valor Econômico, apresentar um deficit tão grande por dois anos seguidos pode desgastar a credibilidade da equipe econômica, já abalada pela ausência de medidas de curto prazo para estabilizar as finanças.

TCU quer barrar plano do governo de renovar concessões de rodovias

O Ministério Público Federal e o Tribunal de Contas da União querem barrar a tentativa do governo interino de Michel Temer de renovar as concessões rodoviárias sem licitação, segundo O Estado de S. Paulo.

Em Brasília, uma MP que renova as concessões sem licitação já está pronta, mas o TCU e o MPF consideram a medida inconstitucional, por ferir o princípio da livre concorrência.

Santander deve entregar proposta pelo Citi Brasil até fim do mês

O Santander se prepara para entregar uma proposta final pelo Citibank Brasil, filial do banco americano, até o fim de julho, segundo informações de um executivo do Santander à Agência Estado.

Além do Santander, Itaú Unibanco e Safra enviaram propostas não vinculantes (em que não há obrigação de compra) ao Citi no mês passado.

Cemig volta a estudar venda da Gasmig

A direção da Cemig, empresa de energia de Minas Gerais, voltou a estudar a venda da Gasmig, braço de distribuição de gás, segundo o Valor Econômico.

Com dívidas elevadas e custo de manutenção cada vez maior, faria mais sentido para a empresa se desfazer da Gasmig do que abrir mão de usinas ou de pequenas centrais hidrelétricas (PCHs).

Caixa e BB terão mais dinheiro para financiamento imobiliário

O Ministério das Cidades atendeu a pedido da Caixa e liberou mais R$ 1,724 bilhão para a linha Pró-Cotista, que financia imóveis entre R$ 225 mil e R$ 500 mil, segundo a Folha de S.Paulo.

O Banco do Brasil também recebeu recursos da mesma linha, que só pode ser acessada por trabalhadores com pelo menos três anos de vínculo com o FGTS.

Chaim Zaher deixa a presidência da Estácio

O empresário Chaim Zaher renunciou à presidência da rede de ensino superior Estácio, conforme noticiado pelo blog Primeiro Lugar. Zaher voltará para o conselho de administração da companhia.

Segundo maior acionista da empresa, Zaher enviou um comunicado à CVM esclarecendo que a Estácio ainda não tinha aprovado nenhuma das propostas de compra apresentadas pelos concorrentes.

O jornal O Globo tinha publicado em reportagem que os acionistas da Estácio resistem em aprovar proposta feita pela Kroton, apesar da empresa ter anunciado que aceitou os novos termos da proposta.

Briga entre sócios da Usiminas rende (mais) troca de farpas

A troca de farpas pública entre acionistas é o novo capítulo de uma das maiores brigas empresariais já vistas: a disputa por quem manda mais em uma das maiores siderúrgicas do país, a Usiminas.

De um lado, está o grupo japonês Nippon Steel, sócio da empresa desde a sua fundação, há 60 anos. Do outro, a Ternium, do conglomerado ítalo-argentino Techint, no bloco de controle desde 2011.

Em carta veiculada em jornais nesta terça-feira (5), a Nippon acusa o novo presidente da Usiminas, Sergio Leite, de comandar a companhia sob interesses da Ternium.

Petrobras não deve atuar 100% na cadeia, diz diretora

A Petrobras está “fazendo o dever de casa” para reestruturar custos e rever sua participação nos segmentos da cadeia de óleo e gás no País.

Em discurso na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), a diretora da estatal, Solange Guedes, afirmou que a companhia busca reduzir a alavancagem olhando “com inteligência” as oportunidades de “curto prazo”.

Solange afirmou ainda que a empresa não deve atuar “100% em todos os segmentos” da cadeia.

Captação da indústria de fundos soma R$38 bi até junho

A indústria brasileira de fundos de investimentos registrou captação líquida de 38,1 bilhões de reais no primeiro semestre, informou a Anbima, entidade que representa as instituições financeiras.

O número representa um aumento de 29,6 por cento em relação ao mesmo período do ano passado.

Os destaques positivos neste ano foram os segmentos de renda fixa, com entrada líquida de 20,7 bilhões de reais, seguido por previdência, com 20,5 bilhões.

China anuncia mudança na metodologia de cálculo do PIB

A China anunciou hoje a revisão da metodologia para calcular o PIB, o que resultou em mudanças leves nos números registrados. O novo método coloca gastos com pesquisa e desenvolvimento como ativos fixos.

De acordo com a entidade que calcula o PIB chinês, os registros passados vão subir conforme a nova metodologia, mas não terão grandes mudanças.