Dólar R$ 3,15 -0,84%
Euro R$ 3,70 -0,28%
SELIC 9,25% ao ano
Ibovespa 0,35% 68.594 pts
Pontos 68.594
Variação 0,35%
Maior Alta 5,14% FIBR3
Maior Baixa -2,23% MRVE3
Última atualização 16/08/2017 - 17:20 FONTE

10 notícias para lidar com os mercados nesta sexta-feira

Bolsas internacionais caminham para 4ª semana consecutiva de perdas diante dos temores de desaquecimento da economia global; bancos rebaixam projeções para PIB dos EUA

São Paulo – Aqui está o que você precisa saber nesta sexta-feira (19):

1 Mercados: bolsas caminham para 4º semana de perdas. Os principais índices de ações do mundo operam em queda nesta sexta-feira, caminhando para a quarta semana consecutiva de perdas, afetados pela preocupação de que a recuperação da economia dos Estados Unidos está perdendo vigor e de que a crise na Europa pode se alastrar. Entre as commodities, o petróleo recua por temor de desaquecimento na demanda, principalmente devido ao desaquecimento da economia global.

Perspectivas dos Bancos | O Citigroup reduziu sua projeção para a expansão econômica americana de 1,7% para 1,6% em 2011, e de 2,7% para 2,1% em 2012. Já o JPMorgan cortou sua previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA no quarto trimestre deste ano de 2,5% para 1,0% e a estimativa para o primeiro trimestre de 2012 de 1,5% para 0,5%. O Morgan Stanley rebaixou suas metas para os índices de ações da Indonésia e Cingapura.

2 JPMorgan revê previsão e alerta para recessão nos Estados Unidos. O JPMorgan reduziu sua estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA no quarto trimestre deste ano de 2,5% para 1,0% e a previsão para o primeiro trimestre de 2012 de 1,5% para 0,5%. A queda nos preços da energia deverá ajudar a conter parte da fraqueza da economia e os níveis ainda baixos dos gastos que são sensíveis a fatores cíclicos podem reduzir as chances de um PIB trimestral negativo. No entanto, os riscos de uma recessão são claramente elevados, disse o banco.

3 ”Descolamento dos Brics pode crescer com a crise”, diz Goldman Sachs. Para Jim O”Neill, presidente do Goldman Sachs Asset Management, o novo agravamento da crise global pode aumentar ainda mais o descolamento entre os Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e os países ricos, disse ele em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo. A razão é que a redução do preço das commodities, que já está acontecendo, pode aplacar as pressões inflacionárias em países como China e Brasil, e facilitar o chamado “pouso suave” – a transição sem sobressaltos de um ritmo sobreaquecido de atividade econômica para uma trajetória de crescimento um pouco menor e mais sustentável.

4 Ouro renova recorde de alta com aversão a risco. O ouro continua subindo em meio à aversão ao risco que domina os mercados e estabeleceu novo recorde hoje aos 1.878,95 dólares a onça-troy no mercado à vista. Às 7h57 (de Brasília), o ouro à vista era negociado a 1.871,35 dólares a onça-troy, valorização de 2,57% do fechamento de ontem (18).

5 Fundo de “private equity” da Gávea pode chegar a US$ 2 bilhões. A Gávea Investimentos, gestora fundada pelo ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, concluirá nos próximos dias a captação de um fundo de “private equity” de pelo menos 1,8 bilhão de dólares, informa reportagem do jornal Valor Econômico. O volume, que é o maior já registrado na indústria de fundos de participações em empresas no Brasil, ainda poderá engordar um pouco, alcançando até 2 bilhões de reais. Isso porque a Gávea ainda aguarda a definição do aporte de dois investidores.

6 Vale planeja abrir capital de nova empresa de logística. A Vale trabalha na criação de uma nova empresa de logística para abrigar ativos e contratos que envolvem a prestação de serviços para carga geral, um mercado em expansão no Brasil, informa reportagem do jornal Valor Econômico. O projeto em discussão na mineradora prevê a abertura de capital dessa nova empresa no Novo Mercado da BM&F Bovespa até 2012.


7 Vale destinará US$ 875 milhões para projeto na Austrália. A Vale informou, em comunicado, que seu conselho de administração aprovou um financiamento de 875 milhões de dólares para o projeto Eagle Downs, mina de carvão de coque que a mineradora brasileira vai desenvolver em parceria com a australiana Aquila Resources, na Bacia de Bowen, no estado australiano de Queensland. “Estamos tentando começar a construção o mais breve possível, com a primeira operação ‘longwall’ no terceiro trimestre de 2015”, disse Décio Amaral, diretor global de carvão da Vale.

8 Bunge vai investir US$ 2,5 bilhões no Brasil. A Bunge anunciou na noite de ontem que fará investimentos de 2,5 bilhões de dólares no Brasil até 2016. O montante será destinado para a expansão dos setores de açúcar e bioenergia. A ideia da companhia é se tornar autossuficiente em energia até 2014. “Com esses investimentos, a produção de açúcar e etanol da empresa crescerá 50% e a cogeração de energia elétrica será ampliada seis vezes”, disse a empresa em nota.

9 Light nega negociação sobre participação em Belo Monte. A Light informou ao mercado na noite de ontem “não existe, até o momento, qualquer negociação” entre ela e os sócios do consórcio Norte Energia, responsável pela usina hidrelétrica de Belo Monte. O comunicado foi feito em resposta a ofício da Comissão de Valores Mobiliários sobre matéria veiculada na imprensa brasileira.

10 BNDES não deve aumentar desembolsos devido à crise. Apesar da ameaça de recessão na economia global e dos reflexos disso nas bolsas de valores, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) não vislumbra um cenário em que terá de ampliar os desembolsos para o setor privado, e tampouco ajudar a Petrobras na captação de recursos para executar seu plano de investimentos, disse ontem o presidente da instituição, Luciano Coutinho.

Bônus BR Insurance quer dobrar aquisições até o fim do ano. A maratona de aquisições a que BR Insurance deu largada no início deste ano deve fazer a holding de seguros chegar a dezembro com 39 empresas, 12 a mais do tinha quando estreou na bolsa em outubro do ano passado, informa reportagem do jornal Valor Econômico. De janeiro para cá, a companhia comprou seis corretoras, totalizando um gasto de 128 milhões de reais. 

Luto Morre presidente do conselho de administração da Votorantim. A Votorantim divulgou ontem nota de falecimento de Carlos Ermírio de Moraes, presidente do conselho de administração da companhia e filho de Antônio Ermírio de Moraes. Desde 2001 à frente da presidência da Votorantim, ele lutava contra um câncer desde há pelo menos quatro anos. O executivo deixa esposa e dois filhos.