10 notícias para lidar com os mercados nesta segunda-feira

Nervosismo sobre bancos fragiliza bolsas europeias

1 – Agenda do dia tem IGP-DI, IPC-S, Focus, crédito ao consumo nos EUA. O Banco Central divulga sua pesquisa semanal Focus, com projeções de economistas do mercado para indicadores como inflação, juros, dólar, taxa básica de juros e Produto Interno Bruto, às 8:30, em seu website. O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, participa do encontro dos presidentes de bancos centrais na Suíça.

2 – IPC-S acelera e tem maior taxa desde maio de 2011. A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) acelerou na primeira quadrissemana do ano. É o que informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV), ao anunciar avanço de 0,93% para o indicador de até 7 de janeiro, acima do IPC-S imediatamente anterior, de até 31 de dezembro (0,79%). Esta foi a maior taxa para o indicador desde a terceira semana de maio de 2011 (0,96%).

3 – Nervosismo sobre bancos fragiliza bolsas europeias. As bolsas europeias apresentam desempenho frágil nesta manhã, com os investidores à espera da reunião entre a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e o presidente da França, Nicolas Sarkozy, que vão conversar sobre o futuro da zona do euro. A conversa entre Merkel e Sarkozy deverá dar seguimento às decisões tomadas durante a cúpula dos líderes europeus realizada em dezembro e também deverá ser uma preparação para a próxima cúpula, no dia 30 deste mês.

4 – Depósitos na linha overnight do BCE têm novo recorde. O uso da linha de depósitos overnight do Banco Central Europeu (BCE) mais uma vez atingiu recorde histórico, refletindo a tensão no mercado de crédito interbancário e o excesso de liquidez no sistema financeiro. Os bancos depositaram 463,565 bilhões de euros na linha do BCE na sexta-feira, em comparação com 455,299 bilhões de euros na quinta-feira.

5 – Zona do euro pode evitar recessão neste ano, diz FMI. A zona do euro como um todo pode evitar uma recessão neste ano e há razões para ser mais otimista sobre as perspectivas para a região, disse a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, segundo o jornal sul-africano Business Day.


6 – Semana tumultuada pode trazer volatilidade aos mercados. A segunda semana de janeiro terá a publicação de importantes indicadores sobre as principais economias do mundo e tem potencial para trazer uma alta volatilidade aos mercados financeiros. O volume financeiro também deve voltar ao normal após duas semanas com as negociações esvaziadas por conta dos feriados.

7 – Mercado revive otimismo com Brasil no início do ano. A primeira semana de 2012 comprovou que o Brasil mantém o posto de queridinho dos investidores globais. Bastou uma pausa nas preocupações com a Europa para o País se destacar. Nos cinco primeiros dias úteis do ano, o Tesouro Nacional e duas empresas privadas captaram juntos US$ 2,6 bilhões no mercado externo. Se fosse mantido pelas outras 51 semanas do ano, seria um ritmo três vezes superior ao de 2011, quando as emissões atingiram US$ 38,5 bilhões.

8 – JBS oficializa fechamento de unidade na Argentina. A JBS oficializou a interrupção das atividades de uma fábrica localizada em Venado Tuerto, na Argentina. O fechamento da unidade, cujos trabalhos estavam suspensos desde meados de dezembro passado, decorre da “necessidade de a companhia se manter competitiva” naquele país, segundo consta em comunicado divulgado pela empresa. No mesmo material, a companhia classifica o fechamento da unidade como um “ajuste” à realidade macroeconômica argentina.

9 – Petrobras encontra gás na Bacia de Campos e óleo na Potiguar. A Petróleo Brasileiro SA encontrou evidências de gás natural e óleo em dois poços diferentes nas Bacias de Campos e Potiguar, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. A Petrobras encontrou gás no poço 3BRSA1010HPRJS do bloco C-M-95, na Bacia de Campos e óleo no poço 1BRSA1025RN do bloco POT-T-699, na Bacia Potiguar, disse a ANP em seu website. As descobertas ainda não foram declaradas comercialmente viáveis.

10 – Bolsas da Ásia têm sinais distintos; Xangai sobe 2,9%. As Bolsas da Ásia apresentaram resultados mistos nesta segunda-feira. Enquanto alguns mercados da região sucumbiram à queda em Wall Street na sexta-feira, além de continuarem pessimistas sobre a crise da dívida da Europa, outros reagiram favoravelmente a fatores internos. Não houve negociações no Japão por ser feriado.