O posicionamento estratégico por trás da roupa da Globeleza

TV Globo resolveu repensar para este ano a sua tradicional abertura para a maior festa popular do país

Se por um lado a Globeleza é uma das personagens mais icônicas da televisão brasileira e todo mundo sabe de cor e salteado a vinheta que embala o Carnaval da Globo, por outro, parte do público critica a emissora por fazer do evento um espaço de objetificação do corpo da mulher, mais especificamente da mulher negra.

O motivo da queixa é evidente: as produções idealizadas desde o inicio da década de 90, por Hans Donner, mostram uma passista sambando nua e com o corpo parcialmente pintado por purpurina.

Em pleno ano de 2017, com as discussões sobre diversidade, igualdade de gênero e as lutas contra o machismo e a violência doméstica cada vez mais intensas, a TV Globo resolveu então repensar a sua tradicional abertura para a maior festa popular do país.

A primeira e mais significativa das mudanças da vinheta deste ano foi percebida logo de cara pelo público e pela imprensa especializada: pela primeira vez a Globeleza está vestida e não nua, como de costume.

A abertura também ganhou em diversidade, já que a emissora selecionou outros ritmos e fugiu da monotemática do carnaval de avenida, incluindo na vinheta o frevo, o maracatu, o axé e o bumba meu boi. Desta maneira, a passista Erika Moura ganha a companhia de outros dançarinos no vídeo.

“Estamos sempre pensando em novidades e agora apostamos na regionalidade, nos diferentes carnavais e em nossa cultura para enriquecer a vinheta com os ritmos que compõem o nosso carnaval. Fomos a cada região buscar um pouco de cada ritmo, um pouco de cada lugar, para fazer a nossa mistura”, contou Alexandre Romano, diretor de arte da Comunicação da Globo, responsável pela concepção do filme.

A mudança estratégica surpreendeu boa parte do público nas redes sociais e, apesar de algumas críticas, rendeu uma maioria de comentários positivos com relação à postura da emissora.

De acordo com o site TelePadi, da jornalista especializada em televisão Cristina Padiglione, a divulgação da Globeleza 2017 durante o “Fantástico” motivou 10,5 mil depoimentos no Twitter.

O termo “Globeleza” entrou 93 vezes nos TTs Brasil, foi registrado no Moments do Twitter e foi também um dos assuntos mais pesquisados no Google.

Vale lembrar que, entre os diretores de criação da produção para o Carnaval 2017, está o publicitário Sérgio Valente, ex-presidente da DM9DDB e atual diretor da Central Globo de Comunicação.

Valente deixou o mercado publicitário em 2013 para assumir na Globo o desafio de planejar as campanhas institucionais e modernizar a comunicação com o público em transformação, especialmente na era digital.

“Além de representar toda a alegria e diversidade da festa mais popular do país, o Carnaval Globeleza é também a folia com mais respeito, uma diversão alto astral, sem lixo no chão e sem xixi na rua. Esses temas serão abordados em novos filmes a serem lançados no início de 2017” afirmou o comunicado da TV Globo.

Essa matéria foi originalmente publicada no portal AdNews.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Podia colocar também uma Burca para representar melhor a diversidade cultural.

  2. Bruno Rodrigues de Melo

    Gostei muito e ficou maravilhoso representando vários lugares pelo Brasil. Tudo é uma questão de adaptação e com o tempo estas mudanças iriam acontecer. Muito legal!

  3. Luciano Modesto

    Demorou mais a Globo acordou pra vida, carnaval não é somente no rio e sim no Brasil inteiro.

  4. Globo atenta a um conservadorismo maior do público…

  5. Curti Rede Globo ! Mostra que estão atentos ao que está acontecendo e respondendo a altura, o telespectador cansou de Carnaval = mulher pelada! È muito mais que isso! http://www.falandodebeleza.com.br

  6. Franci Martins Gonçalves

    A globo está de parabéns.

  7. Franci Martins Gonçalves

    A Rede globo está de parabéns.

  8. Franci Martins Gonçalves

    A Rede globo está de parabéns.

  9. Milton Santana

    Só para incentivar uma discussão sadia. porque a globalização tem que ser mulata?
    Carnaval tem Cor ou etnia?

    1. Milton Santana

      GLOBELEZA

    2. Milton Santana

      *GLOBELEZA (corretor louco)

  10. Nancy Fontana

    Muito bonito e positivo a reação do público, seja ele pelas diversas áreas da comunicação, más acredito que esta “inovação” não dure muito tempo! Não é algo que prenda ao telespetador como o que foi o sinônimo de Globeleza!!!!