São Paulo - A RedeTV! conseguiu vender a cota de patrocínio que faltava para o programa Saturday Night Live, com estreia prevista para o próximo dia 27. A versão nacional do humorístico americano, capitaneada por Rafinha Bastos, vai ao ar com verba custeada por seis marcas -- Skol, Guaraná Antarctica, Nestlé, Sadia, Sedex e Suzuki Motos. Cada uma vai pagar mensalmente 6,4 milhões de reais, num total de 38,4 milhões de reais de receita -- se considerado o preço das cotas na tabela, sem os descontos comumente pedidos pelas agências de publicidade, que compram espaço para seus clientes.

O desempenho comercial da atração difere muito dos acordos de patrocínio atraídos pela estreia do Pânico na Band. No ar desde 1º de abril, o humorístico, que deixou a RedeTV! por falta de pagamento, estreou com suas três cotas de patrocínio fechadas – cada uma oferecida, na tabela de preços, a 63 milhões de reais. Uma marca de cerveja ficou com a cota master, de 114 milhões de reais, gerando um total de quase 340 milhões de reais, sem os descontos.

Mesmo assim, a RedeTV! afirma que tem mais lucro com Rafinha Bastos do que com a trupe de Emilio Surita. "Nosso ganho tem sido bem maior porque não temos que dividir o faturamento com a produção do programa, como acontecia com o Pânico. Aquele era um negócio desequilibrado, em que tínhamos 100% dos custos e apenas 50% da receita. Eu costumo dizer que agora não é mais pânico, é alívio”, disse o superintendente comercial da RedeTV! Paulo Leal no lançamento do Saturday Night Live, na sede da emissora, nesta quarta. 

Tópicos: Humoristas, Patrocínio, RedeTV!, Empresas, TV, Emissoras de TV, Serviços, Redes de TV